Saiba como vender mais otimizando seu funil de vendas

Saiba como vender mais otimizando seu funil de vendas

Em um plano de marketing não pode faltar a elaboração de um bom funil de vendas. Afinal, é por meio dele que as empresas conseguem apostar na geração de leads de maneira eficaz, alinhando-se precisamente às necessidades e objetivos do seu público-alvo.

Por isso, perguntamos a você: em sua empresa todos já estão cientes da relevância do funil de vendas e como usá-lo para aumentar qualitativamente os resultados?

Para quem ainda não tem plena noção disso e como usar as principais ferramentas digitais, como a automação de marketing, este post vai esclarecer todas as suas dúvidas e ensinar como vender mais a partir do uso estratégico do seu funil de vendas. Confira!

[e-book]  As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Baixar grátis | Agência LABRA

Por que usar o funil de vendas?

O autor de The Ultimate Sales, Chet Holmes, tem uma notícia interessante para você: aproximadamente, 3% do seu público-alvo já está pronto para adquirir os seus produtos ou serviços.

Ele vai além: no máximo, 7% está pronto para receber uma proposta. E o que isso significa para você? Que o funil de vendas é a melhor maneira de identificar em que etapa o seu consumidor em potencial se encontra, para que você elabore a estratégia mais assertiva possível.

Assim, em vez de encaminhar uma proposta para quem sequer saber ter um problema, você pode nutrir esse lead com um conteúdo diferenciado, tirando as suas dúvidas, para então abordá-lo com uma negociação em momentos mais oportunos.

Isso, por si só, já soa mais interessante, não é mesmo? Mas perceba que não é tarefa fácil, já que entender como aumentar as vendas com o funil de vendas significa marcar presença a todo instante no processo de compra dos clientes e de consumidores em potencial.

E como fazer isso?

Não basta desenhar o funil de vendas e achar que isso vai resolver o problema e, da noite para o dia, sua empresa vai aprender como vender mais. A estratégia demanda planejamento e, essencialmente, a execução de ações que visam o monitoramento das ações desses prospectos.

Só assim, o seu negócio vai decolar com o uso estratégico do funil de vendas. Vamos ver, então, quais ações aplicar para isso?

Quais ações usar para entender como vender mais com o funil de vendas?

A seguir, as nossas sugestões para que o funil de vendas se torne uma figura elementar no aumento do seu faturamento. Veja só quais são!

Aplique testes A/B

Da mesma maneira que o teste A/B funciona no e-mail marketing ele também tem efeito positivo na otimização do seu funil de vendas. Troque, por exemplo:

  • Imagens;
  • Tamanho do texto;
  • Abordagem e tom de voz dos conteúdos;
  • Chamadas.

Lembre-se de monitorar os resultados e, assim, identificar o melhor tipo, formato e tamanho de conteúdo para encantar o seu consumidor em cada etapa do funil de vendas.

Qualifique mais para a geração de leads

A integração entre os setores de marketing e vendas tem sido amplamente incentivada por especialistas. E motivos para isso não faltam, já que um pode enriquecer o trabalho do outro.

O marketing, por exemplo, pode indicar aos vendedores os leads mais qualificados. E a força de vendas, por sua vez, deve repassar um feedback à equipe de marketing. Assim, ocorre um contínuo alinhamento para que toda a empresa se dedique mais aos leads com mais potencial de gerar resultados.

Invista na automação de marketing

A automação de marketing é uma solução necessária, praticamente, quando o número de leads ultrapassam — e muito — a capacidade produtiva de sua equipe de vendas. Mas não apenas nessas situações, já que as soluções , como o CRM, ajudam a otimizar o trabalho.

Assim, é possível organizar e compilar as informações para facilitar o trabalho e, assim, construir um relacionamento verdadeiramente rico com a sua base de consumidores e os clientes em potencial em contato com os seus vendedores.

Atenção às métricas relevantes para o funil de vendas

Um cuidado forte a ser tomado, ao lidar com o funil de vendas, é relacionado às métricas. Afinal de contas, muitas delas são consideradas “métricas de vaidade” que não traduzem, de fato, os resultados que você busca.

Atenção às métricas relevantes para o funil de vendas | Agência LABRA

São as curtidas, número de seguidores e pageviews, entre outras, enquanto sua equipe deve se atentar às taxas de conversão, número de leads (e também de clientes) gerados e outras que apontam, com precisão, o quanto sua empresa está navegando na direção certa.

Aposte na flexibilidade do seu funil de vendas

Nem todo cliente vai chegar até você ainda na primeira etapa de sua jornada de compra e, tampouco, vai seguir cada uma delas em ordem. Por isso, é fundamental ter um funil de vendas flexível, que se adapte rapidamente ao percurso dos clientes e, assim, evite que uma potencial venda se perca em um desalinhamento estratégico.

Saiba apresentar a solução que você tem a oferecer

Entenda que ninguém melhor do que os seus vendedores para apresentar uma solução diferenciada para o seu público-alvo. Ainda que o consumidor tenha o hábito de pesquisar on-line, é o marketing digital quem permite que eles cheguem até a sua empresa.

E, quando ele não está pronto para adquirir o seu serviço ou produto, é esse conteúdo qualificado que municia o consumidor. Quando ele se sente qualificado para entender o problema e as soluções, o seu vendedor já deve compreender, exatamente, o problema dele e como a sua solução pode se associar diretamente na resolução dessa questão em particular.

Difícil? Nem tanto. Por meio das dicas anteriores, o marketing e vendas passam a ser setores integrados, e ambos capazes de monitorar todos os comportamentos dos consumidores em potencial. Com isso, aprender como vender mais é uma natural consequência do uso otimizado do funil de vendas.

Inicie as negociações

O funil de vendas não deve fazer os seus vendedores terem receio de abordar o consumidor — apenas identificar a melhor hora para isso.

Portanto, assim que o setor de marketing tiver encaminhado os dados de cada cliente em potencial, facilitando o argumento de venda, por que não experimentar uma primeira abordagem?

Respeite o tempo do cliente e, principalmente, tenha em mãos os dados para compor argumentos convincentes para desmanchar a resistência natural que os clientes têm ao serem abordados.

Seguindo nossas dicas, você se aproxima muito de um relacionamento rico com o consumidor, aprendendo a gerar valor continuamente para ele.

E é por isso que, para construir um funil de vendas arrasador e de acordo com as dicas aqui propostas, nós recomendamos o auxílio de uma empresa profissional para planejar as melhores estratégias.

Quer saber como? Então, descubra conosco qual é o retorno que uma agência de marketing digital traz para você! Por tanto, aproveite para entrar em contato com um de nossos especialistas para entender, de maneira personalizada, como o funil de vendas pode ser usado em benefício do seu negócio!

Google Meu Negócio, por que minha empresa deve ter?

Google Meu Negócio, por que minha empresa deve ter?

Frequentemente, novos recursos são lançados por grandes empresas da internet, como o Google. Estar atento a estas novidades é algo importante para manter o seu negócio atualizado e relevante na web.

O Google Meu Negócio é um excelente exemplo. O recurso já está no ar desde 2015, mas ainda assim existem empresas que não aderiram à ideia.

Por que isso é um problema? Porque essas são empresas que estão perdendo oportunidades de negócio. A ferramenta da Google foi criada para possibilitar que empresas tenham mais destaque tanto no site de buscas quanto no Google Maps.

Você já parou para pensar em quantos dos seus clientes utilizam esses endereços? Então, confira conosco o que pode ser feito para que o Google Meu Negócio se torne um ativo valioso em suas campanhas de marketing!

Entenda o que é o Google Meu Negócio

O Google Meu Negócio foi lançado em 2014 como uma ferramenta multiplataforma para aproximar a sua marca do público-alvo que, como tantos outros, usam a internet para solucionar as suas principais dúvidas.

Entenda o que é o Google Meu Negócio

E como funciona? A plataforma da gigante de tecnologia permite a divulgação do seu negócio gratuitamente, aparecendo nos resultados orgânicos das pesquisas feitas on-line.

Existem muitas funcionalidades concentradas no Google Meu Negócio. E, a seguir, nós vamos explorar algumas das mais impressionantes para divulgar a sua empresa:

  • você consegue gerar uma localização diretamente no Google Maps — inclusive, podendo acrescentar um tour virtual do interior do seu estabelecimento, caso você já tenha feito isso com outras tecnologias;
  • é possível acrescentar os mais diversos dados de contato para a sua empresa, como o e-mail de contato, seu site e os números de telefone (quando a pesquisa é feita pelo smartphone, a ligação pode ser feita diretamente do Google Meu Negócio, clicando nos números);
  • há como apontar o horário de funcionamento de seu empreendimento, bem como os “horários de pico” — de maior movimentação;
  • divulgar depoimentos e as notas dos clientes;
  • destacar as postagens mais recentes nas suas redes sociais.

Isso tudo, apresentado na lateral direita dos resultados orgânicos de busca no Google. Uma maneira ainda mais preciosa de aproximar-se do seu público-alvo, mostrar-se antenado às tendências digitais e facilitar o contato dele com as suas soluções.

Conheça os benefícios do Google Meu Negócio

A principal vantagem de apostar na ferramenta é a possibilidade de destacar a sua marca nos resultados do Google.

Você já procurou por uma empresa específica e se deparou com um box destacado no lado direito da tela? Provavelmente, você percebeu que lá tem informações bastante úteis, como avaliação geral dos clientes e dados de contato.

Para quem procura ir até o estabelecimento ou entrar em contato de forma rápida e prática, é muito bom encontrar tantos dados relevantes destacados. Mais do que isso: o recurso deixa os potenciais seguidores mais próximos da conclusão da compra, uma vez que basta acionar um botão para contatar a empresa.

Como destacado, além dos dados acima você também pode acrescentar as informações dispostas no tópico anterior, como a rota para chegar ao seu estabelecimento, o horário de atendimento, o telefone e o site, por exemplo, entre outras informações.

Tudo isso ajuda a aproximar os seus clientes da sua marca, porque facilita a comunicação e o processo de compra. Clicando em como chegar, por exemplo, o consumidor é direcionado para o Google Maps, onde ele encontra todas as instruções desejadas.

Como começar a usar o Google Meu Negócio

O melhor é que é muito fácil destacar o seu negócio com este recurso – que é gratuito. Basta acessar o site Google Meu Negócio e fazer o seu login.

Depois, escolha o tipo de empresa – estabelecimento, área de cobertura ou marca – e preencha os dados da sua empresa. Marque a caixa indicando que você está autorizado a gerenciá-la e confirme.

Pronto, agora você já pode começar a usar a ferramenta para dar mais visibilidade a sua empresa.

Sempre que você entrar na sua conta terá acesso a um painel de controle, onde poderá fazer edições rápidas, além de acompanhar e responder comentários de clientes.

É possível gerenciar vários estabelecimentos neste painel – o que facilita o controle de quem tem mais de uma loja física. Sempre que forem feitas atualizações, elas serão automaticamente dispostas na sua tela do Google Meu Negócio.

Mais uma vantagem de contar com este recurso é a facilidade de monitorar resultados. O Google Meu Negócio oferece importantes insights: número de visualizações, de cliques no número de telefone, de visualizações do site (a partir do botão do Google Meu Negócio) e de solicitações de rota para chegar ao seu estabelecimento.

Assim, você pode aprimorar a sua estratégia e analisar os resultados alcançados sempre que necessário.

Vale dizer que esta não é uma ferramenta útil apenas para quem tem negócios físicos. Se você tem uma loja online, também pode usar o Google Meu Negócio para destacar a empresa. Basta optar para que o seu endereço não apareça no Google.

O que você acha dessa ferramenta criada pelo Google para dar mais visibilidade às empresas? Deixe sua opinião, no campo de comentários, e aproveite para entender como a Agência Labra pode contribuir com resultados ainda melhores por meio do Inbound Marketing!

Precisando montar um site de vendas? Entre em contato conosco!  | Agência LABRA

O que é Growth Driven Design e por que adotar?

O que é Growth Driven Design e por que adotar?

O seu site já é eficiente em atrair leads qualificados e em gerar novos negócios para a empresa? Ele já conta com uma estratégia potente, direcionada pelo comportamento do seu público-alvo? Já apresenta melhorias constantes feitas mensalmente para garantir a retenção dos seus potenciais clientes? Tudo isso é possível com o uso de um novo conceito utilizado pelo marketing digital: o Growth Driven Design (GDD).

Esta é uma estratégia com etapas leves, que busca acelerar os resultados apresentados por um site. Baixo custo de implementação, maior engajamento do público e atualizações constantes são algumas das características do GDD. Saiba mais:

O que é o Growth Driven Design?

Growth Driven Design (ou GDD) é uma estratégia que tem como objetivo inovar a maneira como as empresas lançam, renovam e otimizam os seus sites. Trata-se de uma solução mais dinâmica do que a tradicional, baseada em ciclos que se repetem constantemente.

Podemos perceber essa intenção já no próprio nome: a tradução literal para Growth Driven Design é Desenvolvimento Orientado ao Crescimento. Ou seja: a ciência de que o seu site e as suas páginas digitais não podem ser idealizados como um projeto finalizado e inflexível.

O que é o Growth Driven Design?

Por sua vez, o Growth Driven Design está atrelado a um modelo de negócio em que a sua equipe vai privilegiar, continuamente, as necessidades do seu usuário. E isso vem por meio de atualizações, novas ferramentas e estratégias que se adaptam ao perfil do consumidor.

Esses ciclos consideram o comportamento do público no site, métricas relevantes e conceitos de Inbound Marketing para garantir que a plataforma utilizada pela empresa esteja em constante melhoria. A intenção é que o site esteja por dentro das tendências e que apresente sempre a melhor performance possível para o seu público-alvo.

Como o GDD funciona?

A metodologia Growth Driven Design é baseada em ciclos, que costumam durar alguns meses. Cada ciclo conta com etapas que envolvem análise, planejamento, desenvolvimento e otimização. Na análise, por exemplo, são identificadas melhorias para que o site da empresa ofereça uma melhor performance.

Estas melhorias consideram, principalmente, o comportamento que os seus potenciais clientes apresentam quando estão conectados no endereço virtual do seu negócio. Já no desenvolvimento, são criadas novas funcionalidades e feitos os ajustes necessários para garantir uma excelente navegação no site.

Estes são ciclos contínuos, o que faz com que a evolução na plataforma da empresa também seja constante. As atualizações não acontecem a cada dois ou três anos, mas a cada poucos meses.

Quais são os benefícios do Growth Driven Design?

Quem opta pela metodologia GDD, conta com atualizações constantes no site, garantindo que sua empresa se modernize na mesma velocidade e ritmo das atualizações do mercado.

Além disso, as etapas menores e de rápida execução, em que o GDD se divide, ajudam a diminuir riscos no projeto digital do negócio.

Outro benefício desta metodologia é a possibilidade de criar uma ótima experiência de navegação – a partir do ponto de vista do consumidor – algo que ajuda a fortalecer o vínculo da empresa com o seu público-alvo.

Que tal vermos outros exemplos de como o Growth Driven Design pode fazer a diferença para o seu negócio?

Redução de custos

O Growth Driven Design pode ser implementado rapidamente. Afinal de contas, as próprias soluções do mercado de marketing digital já são pensadas para serem atualizadas.

Isso significa que você vai investir em uma mudança impactante, e em curto prazo. Os riscos também são menores, já que você vai acompanhar os benefícios dessas atualizações e compreender como elas vão aproximar a sua marca do consumidor.

Aprendizado constante

Vivemos uma época em que a tecnologia “aprende” mais sobre os hábitos de navegação on-line do consumidor. E o Growth Driven Design está intimamente associado a isso, sempre um passo à frente das movimentações do mercado e para onde estão rumando as grandes tendências do setor.

Aumento de vendas

Com um processo de vendas estruturado, o Growth Driven Design lida com uma resposta do seu consumidor e ajuda na flexibilização das suas estratégias.

Pois as ações digitais têm como principal objetivo esse distanciamento menor entre o seu empreendimento e a demanda do público-alvo. Quando o Growth Driven Design se associa às suas estratégias e tecnologias, você está gerando mais renda a partir desse relacionamento de qualidade estabelecido e mantido.

Uso associado ao inbound marketing

Vale destacar que o Growth Driven Design é uma poderosa ferramenta para manter as suas ações de inbound marketing sempre relevantes.

Afinal de contas, esse modelo de negócios prioriza a experiência do usuário — o que facilita a aproximação do consumidor, a geração de leads qualificados e, consequentemente, no estabelecimento de novas estratégias de relacionamento, vendas e fidelização.

Por que investir em Growth Driven Design?

Growth Driven Design é um conceito que possibilita a criação de sites rápidos e otimizados em um curto espaço de tempo. Quando utilizado, ele contribui positivamente para os resultados apresentados pelas suas campanhas de marketing digital e garante que o seu site apresente uma excelente performance.

E você, o que acha do Growth Driven Design? Deixe a sua opinião sobre o assunto nos comentários. Não deixe de acompanhar nosso blog com conteúdos semanais!

Peça um orçamento para fazer um site de vendas! | Agência LABRA

O significado das cores para logotipo e como escolhê-las!

O significado das cores para logotipo e como escolhê-las!

O preto utilizado no logotipo da Adidas, o azul da Wolkswagen e o vermelho da Coca-Cola não foram escolhidos por acaso. Essas também não foram escolhas influenciadas pelo gosto pessoal dos donos das empresas ou pelas cores da moda.

Para criar um logo tão impactante quanto o das marcas citadas é preciso, antes de tudo, conhecer a psicologia das cores.

Ou seja: compreender a fundo quais são os sentimentos que cada tom desperta. O preto da Adidas, por exemplo, passa uma sensação de elegância. Já o azul faz com que a Wolkswagen transmita mais confiança ao consumidor e o vermelho, da Coca-Cola, tem entre as suas intenções despertar o apetite do seu público-alvo.

Quer saber como aplicar isso no seu negócio? Então, saiba mais sobre as sensações despertadas pelas cores e descubra como escolher a combinação de tons ideal para o logotipo da sua empresa!

O uso estratégico das cores no marketing

As cores têm uma relevância indiscutível em nossas decisões. E não estamos falando apenas de um logotipo, mas, basicamente, em muitas de nossas questões particulares também.

Pense, rapidamente conosco: um veículo, uma roupa, um brinquedo ou a parede da sala. Questões mundanas, mas amplamente influenciadas por uma mensagem que queremos transmitir e que as pessoas as captem.

Logotipo | Agência Labra

No mercado, a psicologia das cores tem também um impacto imenso. De acordo com Neil Patel, do Quiclk Sprout, a sua decisão por uma cor, em detrimento de outra, pode representar até 85% da tomada de decisão do seu público-alvo.

Relevante, não é mesmo? Vamos conferir quais são as etapas estratégicas que a sua empresa deve considerar antes de apontar a primeira tonalidade que surgir na aquarela.

O que considerar antes de escolher as cores do logotipo

Antes de definir quais serão as cores do logotipo, é preciso responder a duas perguntas: que imagem a sua empresa espera passar para o consumidor e qual é o público-alvo que se espera atingir. A partir daí, é possível fazer uma escolha precisa sobre as cores que serão utilizadas no logotipo.

O logotipo é um elemento muito importante para a empresa. Ele a representa visualmente e, é utilizado nas embalagens de produtos, em placas de sinalização, no site e em diversos materiais distribuídos para clientes e parceiros.

Um bom logotipo é eficiente em transmitir a imagem que a empresa espera ter no mercado e, em fazer com que os consumidores-alvo se identifiquem com a marca. As cores escolhidas têm um papel essencial para isso.

O significado das cores

Cores mais fáceis de serem identificadas têm um melhor impacto em audiências das classes C, D e E. Por isso, se a sua empresa é voltada para este público, prefira escolher tons como o verde, o azul e, o laranja. Evite o uso de cores elaboradas, como o turquesa ou o caramelo.

Outro cuidado importante, é não se deixar influenciar pelas cores da moda. A cor do ano 2017 escolhida pela Pantone, por exemplo, é o verde Greenery. O tom deve influenciar o trabalho de designers, fashionistas e decoradores, mas nunca a escolha de um logotipo.

Afinal, a cor vai estar em alta por um curto período de tempo e, a ideia é que o seu logo perdure por muitos anos.

Em vez disso, use como base as reações que, segundo a psicologia, cada cor é capaz de provocar. Veja alguns exemplos:

  • verde: remete à ecologia, desperta sensações de frescor e de tranquilidade;
  • preto: pode remeter ao clássico e conservador. Também dá elegância à marca e pode transmitir um pouco de mistério;
  • amarelo: desperta a curiosidade e o otimismo, mas é preciso ter cuidado para não exagerar no uso desta cor. Em excesso, o amarelo estimula a ansiedade;
  • roxo: a cor está ligada à realeza, por isso, pode dar mais sofisticação à marca. O roxo também pode remeter à espiritualidade, à fantasia e à imaginação;
  • rosa: cor que proporciona calma, ligada ao romantismo e a feminilidade;
  • dourado: remete à alta qualidade e ao luxo.

Essas são apenas algumas das cores mais usadas por empreendedores. Convém avaliar, dentro do vasto repertório de cores, aquelas tonalidades que mais traduzem os valores da sua empresa em alinhamento ao perfil do seu público.

Dessa maneira, para acertar na escolha das cores do seu logotipo é preciso estudar as sensações provocadas por cada uma. Também é importante conhecer os logos dos seus concorrentes, para evitar criar um logo muito parecido com os que já existem.

Escolher a combinação de cores certas é um importante passo no caminho para garantir que a sua empresa tenha a imagem esperada no mercado.

Como escolher as cores para o seu logotipo

Acima, destacamos os seus pilares institucionais e o perfil do seu público. No entanto, vale se aprofundar na questão para que o seu logotipo se destaque dos demais — da concorrência, preferencialmente —, agregando mais valor e destaque à sua marca.

Crie sua identidade visual com a gente! | Agência Labra

O primeiro deles é o cuidado em não destoar dos seus valores buscando, para isso, uma associação imediata com um modismo. Por exemplo: existem tonalidades que são tendências para o próximo verão.

Ao seguir essa tendência, o que vai acontecer com o seu logotipo nos anos seguintes? Vai carregar uma tonalidade passageira, da qual pouca gente se lembra ou associa uma sensação.

Outra dica é que você teste exaustivamente as combinações de tons e, por fim, que sempre imprima-as em preto e branco. O motivo para isso se explica facilmente: diante do uso do logotipo em materiais publicitários, pode ser que você tenha que usá-lo sem cores.

E é importante que o logotipo funcione colorido ou não. Que seja legível, inclusive, das duas maneiras.

Por fim, uma dica importante: fuja das preferências pessoais. Como destacamos, o uso estratégico das cores ajuda a gerar associações do seu logotipo com a marca que ele representa, e com o perfil do seu público-alvo.

Se você escapa disso para colocar a sua preferência por verde, por exemplo, fica mais difícil criar essa associação rica com a sua audiência.

Existem cores certas para o logotipo, site e blog?

A nossa resposta, objetiva e simples, é: não. Afinal de contas, estamos falando da construção de sua identidade visual. Ela tem que estar associada, em primeiro lugar, à sua persona e aos motes institucionais de sua marca.

Só que você deve tomar cuidado com base nas considerações acima e, principalmente, nas sensações que você deseja despertar. Muitos tons “cansam” rapidamente a vista, e você não quer que o usuário visite o seu site ou blog e saia rapidamente de lá por conta disso, certo?

Basta ter em mente que o seu logotipo e qualquer outro detalhe da sua identidade visual têm uma mensagem, um objetivo e um valor implícitos — e explícitos — neles. E, se possível, usá-los em combinação com outros fatores, como:

  • cores que dialoguem — ou contrastem, desde que por meio de sensações positivas — em todos os seus materiais. Os digitais, inclusive, como as cores do site, das redes sociais e do blog;
  • cores que gerem um design atrativo e que não canse;
  • cores que gerem identificação mútua;
  • cores que não desapareçam — ou sejam mascaradas — por outros tons presentes em materiais diversos, como o seu catálogo de produtos.

Não é uma tarefa fácil, isso é verdade. Só que a escolha certeira do seu logotipo — após testes e mais testes — é um diferencial e tanto para se aproximar do seu consumidor e criar um relacionamento rico, sólido e duradouro.

Você levou em consideração a psicologia das cores na hora de criar o seu logotipo? Comente a sua opinião sobre o assunto. Ou entre em contato com a equipe LABRA para ajudar nessa questão. Somos especialistas no assunto e você pode conseguir rapidamente o seu orçamento para dar início à elaboração e desenvolvimento do seu logotipo!

A importância de evoluir o logotipo da sua empresa

A importância de evoluir o logotipo da sua empresa

O logotipo é um dos elementos mais importantes da identidade visual de uma empresa. É por meio das cores, dos traços e das formas utilizadas no logo que a marca se apresenta ao mercado. Também é por meio desta “assinatura” que os consumidores, muitas vezes, reconhecem os produtos desenvolvidos pela empresa.

Mas será preciso evoluir o logo criado? Em que momentos isso deve ser feito? Se você tem estas e outras dúvidas a respeito da evolução do logotipo, está no post certo. Acompanhe a leitura para descobrir mais sobre o assunto!

O conceito de identidade visual

Antes de explorarmos a ideia de logotipo, temos que retroceder algumas etapas para apontar, inicialmente, a relevância da identidade visual para qualquer empresa.

E, afinal de contas, o que é a identidade visual?

No geral, são os elementos visuais que contribuem com a representação da sua marca — seja a sua essência, os seus conceitos e produtos ou serviços. Ela aparece na sua fachada, no site, em materiais gráficos etc..

Isso, de imediato, ajuda na consolidação da empresa no mercado, bem como a sua diferenciação. Para o público, é a oportunidade para gerar identificação e associação, facilitando a sua lembrança para distanciar-se da concorrência.

Logotipo: crie sua identidade visual com a gente, clique aqui! | Agência LABRA

A ideia do logotipo

Dentro do contexto de identidade visual temos o logotipo, que é traduzido como os elementos gráficos de identificação de uma marca. Eles podem ser:

  • letras;
  • números;
  • símbolos.

Isolados ou juntos, vale adiantar, desde que gerem com precisão a identificação que o consumidor necessita para associar à sua empresa. O logotipo é, portanto, uma significação para o seu negócio que pode ser reconhecida a partir desse elemento gráfico.

A importância do logotipo para a empresa

O logotipo — bem como o planejamento estratégico da sua identidade visual — ajudam a transmitir seriedade e profissionalismo a uma empresa.

Sem falar na credibilidade da marca, o que é demonstrado pelo cuidado em construir uma imagem única, exclusiva e associada ao perfil do seu público-alvo.

Portanto, o logotipo é uma tradução rápida e objetiva de quem é o seu negócio e como ele se posiciona naquele mercado em questão.

Do contrário, as empresas perdem identidade. O que diferenciaria, afinal de contas, uma empresa da outra cujas soluções são similares? O cuidado está em agregar essa identificação imediata com o público, e daí o grande valor do logotipo para as empresas.

A força do logotipo para o crescimento da marca

Como adiantamos, o logotipo tem diversas funções no marketing da empresa. É uma ferramenta poderosa para ajudar no posicionamento da marca no mercado.

Só que ele, quando elaborado estrategicamente, também pode (e deve) marcar presença nos materiais da empresa. Isso estabelece e fortalece um relacionamento com o consumidor.

Por isso, o objetivo do logotipo está atrelado à representação visual do conceito da marca, representando também a área de atuação da empresa.

Quer um exemplo disso? Vamos tomar como ilustração o caso do logo da FedEx, empresa americana que realiza entregas. No logotipo da empresa, o espaço entre as letras E e X tem o formato de uma flecha para simbolizar a rapidez nas entregas feitas pela empresa.

Evoluir ou não evoluir o logotipo

O logotipo é um elemento que representa visualmente a marca, certo? O seu conceito, a sua área de atuação e os seus consumidores. No entanto, é importante que a empresa esteja em constante evolução – para aprimorar os seus serviços e se adaptar a novos tempos.

Portanto, é natural que o logo evolua junto, para representar o novo conceito da marca. As mudanças no logotipo também ajudam a reposicionar a marca — quando a empresa procura conquistar uma nova fatia do mercado, por exemplo, ou quando quer agregar valor aos produtos e serviços comercializados.

Também é fundamental evoluir a marca quando ela não condiz com a imagem que a empresa quer passar, com o seu conceito ou com o público-alvo que se espera conquistar.

Vale analisar o logotipo e responder a perguntas como: “meus consumidores se identificam com o logo da empresa?”.

Se a resposta for não, é mais do que hora de fazer ajustes na identidade visual e de evoluir elementos essenciais para o crescimento do negócio, como é o caso do logotipo.

A importância em saber quando se adaptar às mudanças

Com o passar do tempo, surgem novas tecnologias, o comportamento do consumidor muda e aparecem novas tendências. Em momentos assim, também é preciso adaptar o logo que representa visualmente o conceito da marca.

Diversas empresas fizeram isso ao longo dos anos. A onda branca presente no logo da Coca-Cola, por exemplo, só surgiu em 1969. Já a Apple, conhecida pela sua maçã meio mordida, já foi representada por um logo bem colorido.

Essa era a imagem que representava a marca em 1977. As cores foram influenciadas pelo movimento hippie, forte na época e, principalmente, pelo lançamento do Apple II — o primeiro computador pessoal capaz de reproduzir imagens em cores.

Outro motivo para as faixas coloridas era o fato de que Steve Jobs queria atingir um público mais jovem: a ideia era começar a colocar os computadores nas escolas.

Os tempos passaram, o objetivo da Apple mudou e os seus aparelhos evoluíram. O logo da empresa acompanhou estas transformações.

Logotipo: ajuda no desenvolvimento da sua marca. | Agência LABRA

Hoje em dia, a versão “glass” da maçã, sem as faixas coloridas, é ideal para representar o novo conceito da marca que cria aparelhos com design moderno e funcionalidades voltadas para criar uma excelente experiência ao usuário. A nova versão transmite a imagem elegante dos produtos fabricados pela Apple.

Assim como a Apple, a Coca-Cola e milhares de outras empresas, os produtos e serviços do seu negócio evoluem. As demandas do mercado, o seu público-alvo e a sua concorrência também.

Para garantir que os seus consumidores continuem interessados nos seus produtos, atrair mais clientes que fazem parte do seu público-alvo e evitar que a sua empresa perca competitividade é fundamental adaptar a identidade da empresa e o logotipo que representa a marca.

(Re)criando um logotipo de alto impacto

Pois então, vimos que é de grande relevância acompanhar as mudanças do mercado para garantir uma perpetuidade no significado da sua marca para o consumidor.

Esse fortalecimento, portanto, deve ocorrer com um novo planejamento para avaliar a associação da sua identidade visual com as novas perspectivas do mercado e, claro, o perfil do seu público-alvo.

Por isso, para que você possa reinserir a identidade visual da sua empresa com grande impacto positivo, no mercado, reunimos algumas dicas para a sua empreitada, como:

  • reavalie tudo o que você sabe — ou acha que sabe — sobre a sua empresa. Refaça as pesquisas já feitas e confira quais valores e representações ficaram datados;
  • reposicione o seu logotipo para compreender se ele ainda está de acordo com os pilares institucionais da sua marca (missão, valores e visão);
  • pesquise novamente tudo a respeito do seu público-alvo. Em seguida, associe-o à representação gráfica da sua empresa;
  • analise a concorrência e perceba como ela se mobilizou nesse sentido. Eles mantêm o mesmo logotipo ou se reestruturaram também para inovar no mercado?
  • estude o significado dos elementos gráficos usados no seu logotipo. Tente reforçar todos os diferenciais da sua marca, sem perder a relevância para a percepção do público;
  • registre o seu novo logotipo e divulgue-o nos seus principais canais de comunicação. Reforce o significado dele para a sua audiência e mensure a recepção do público.

E então, deu para entender o valor agregado do logotipo da sua empresa e o quanto ele tem valor na representação do o conceito de sua marca? Deixe a sua opinião sobre o assunto nos comentários, e aproveite para saber mais a respeito do tema baixando gratuitamente o nosso portfólio sobre identidade visual! Lá, você vai saber o que a Agência Labra pode fazer para ajudar no desenvolvimento do seu logotipo!

Pin It on Pinterest