O significado das cores para logotipo e como escolhê-las!

O significado das cores para logotipo e como escolhê-las!

O preto utilizado no logotipo da Adidas, o azul da Wolkswagen e o vermelho da Coca-Cola não foram escolhidos por acaso. Essas também não foram escolhas influenciadas pelo gosto pessoal dos donos das empresas ou pelas cores da moda.

Para criar um logo tão impactante quanto o das marcas citadas é preciso, antes de tudo, conhecer a psicologia das cores.

Ou seja: compreender a fundo quais são os sentimentos que cada tom desperta. O preto da Adidas, por exemplo, passa uma sensação de elegância. Já o azul faz com que a Wolkswagen transmita mais confiança ao consumidor e o vermelho, da Coca-Cola, tem entre as suas intenções despertar o apetite do seu público-alvo.

Quer saber como aplicar isso no seu negócio? Então, saiba mais sobre as sensações despertadas pelas cores e descubra como escolher a combinação de tons ideal para o logotipo da sua empresa!

O uso estratégico das cores no marketing

As cores têm uma relevância indiscutível em nossas decisões. E não estamos falando apenas de um logotipo, mas, basicamente, em muitas de nossas questões particulares também.

Pense, rapidamente conosco: um veículo, uma roupa, um brinquedo ou a parede da sala. Questões mundanas, mas amplamente influenciadas por uma mensagem que queremos transmitir e que as pessoas as captem.

Logotipo | Agência Labra

No mercado, a psicologia das cores tem também um impacto imenso. De acordo com Neil Patel, do Quiclk Sprout, a sua decisão por uma cor, em detrimento de outra, pode representar até 85% da tomada de decisão do seu público-alvo.

Relevante, não é mesmo? Vamos conferir quais são as etapas estratégicas que a sua empresa deve considerar antes de apontar a primeira tonalidade que surgir na aquarela.

O que considerar antes de escolher as cores do logotipo

Antes de definir quais serão as cores do logotipo, é preciso responder a duas perguntas: que imagem a sua empresa espera passar para o consumidor e qual é o público-alvo que se espera atingir. A partir daí, é possível fazer uma escolha precisa sobre as cores que serão utilizadas no logotipo.

O logotipo é um elemento muito importante para a empresa. Ele a representa visualmente e, é utilizado nas embalagens de produtos, em placas de sinalização, no site e em diversos materiais distribuídos para clientes e parceiros.

Um bom logotipo é eficiente em transmitir a imagem que a empresa espera ter no mercado e, em fazer com que os consumidores-alvo se identifiquem com a marca. As cores escolhidas têm um papel essencial para isso.

O significado das cores

Cores mais fáceis de serem identificadas têm um melhor impacto em audiências das classes C, D e E. Por isso, se a sua empresa é voltada para este público, prefira escolher tons como o verde, o azul e, o laranja. Evite o uso de cores elaboradas, como o turquesa ou o caramelo.

Outro cuidado importante, é não se deixar influenciar pelas cores da moda. A cor do ano 2017 escolhida pela Pantone, por exemplo, é o verde Greenery. O tom deve influenciar o trabalho de designers, fashionistas e decoradores, mas nunca a escolha de um logotipo.

Afinal, a cor vai estar em alta por um curto período de tempo e, a ideia é que o seu logo perdure por muitos anos.

Em vez disso, use como base as reações que, segundo a psicologia, cada cor é capaz de provocar. Veja alguns exemplos:

  • verde: remete à ecologia, desperta sensações de frescor e de tranquilidade;
  • preto: pode remeter ao clássico e conservador. Também dá elegância à marca e pode transmitir um pouco de mistério;
  • amarelo: desperta a curiosidade e o otimismo, mas é preciso ter cuidado para não exagerar no uso desta cor. Em excesso, o amarelo estimula a ansiedade;
  • roxo: a cor está ligada à realeza, por isso, pode dar mais sofisticação à marca. O roxo também pode remeter à espiritualidade, à fantasia e à imaginação;
  • rosa: cor que proporciona calma, ligada ao romantismo e a feminilidade;
  • dourado: remete à alta qualidade e ao luxo.

Essas são apenas algumas das cores mais usadas por empreendedores. Convém avaliar, dentro do vasto repertório de cores, aquelas tonalidades que mais traduzem os valores da sua empresa em alinhamento ao perfil do seu público.

Dessa maneira, para acertar na escolha das cores do seu logotipo é preciso estudar as sensações provocadas por cada uma. Também é importante conhecer os logos dos seus concorrentes, para evitar criar um logo muito parecido com os que já existem.

Escolher a combinação de cores certas é um importante passo no caminho para garantir que a sua empresa tenha a imagem esperada no mercado.

Como escolher as cores para o seu logotipo

Acima, destacamos os seus pilares institucionais e o perfil do seu público. No entanto, vale se aprofundar na questão para que o seu logotipo se destaque dos demais — da concorrência, preferencialmente —, agregando mais valor e destaque à sua marca.

O primeiro deles é o cuidado em não destoar dos seus valores buscando, para isso, uma associação imediata com um modismo. Por exemplo: existem tonalidades que são tendências para o próximo verão.

Ao seguir essa tendência, o que vai acontecer com o seu logotipo nos anos seguintes? Vai carregar uma tonalidade passageira, da qual pouca gente se lembra ou associa uma sensação.

Outra dica é que você teste exaustivamente as combinações de tons e, por fim, que sempre imprima-as em preto e branco. O motivo para isso se explica facilmente: diante do uso do logotipo em materiais publicitários, pode ser que você tenha que usá-lo sem cores.

E é importante que o logotipo funcione colorido ou não. Que seja legível, inclusive, das duas maneiras.

Por fim, uma dica importante: fuja das preferências pessoais. Como destacamos, o uso estratégico das cores ajuda a gerar associações do seu logotipo com a marca que ele representa, e com o perfil do seu público-alvo.

Se você escapa disso para colocar a sua preferência por verde, por exemplo, fica mais difícil criar essa associação rica com a sua audiência.

Existem cores certas para o logotipo, site e blog?

A nossa resposta, objetiva e simples, é: não. Afinal de contas, estamos falando da construção de sua identidade visual. Ela tem que estar associada, em primeiro lugar, à sua persona e aos motes institucionais de sua marca.

Só que você deve tomar cuidado com base nas considerações acima e, principalmente, nas sensações que você deseja despertar. Muitos tons “cansam” rapidamente a vista, e você não quer que o usuário visite o seu site ou blog e saia rapidamente de lá por conta disso, certo?

Basta ter em mente que o seu logotipo e qualquer outro detalhe da sua identidade visual têm uma mensagem, um objetivo e um valor implícitos — e explícitos — neles. E, se possível, usá-los em combinação com outros fatores, como:

  • cores que dialoguem — ou contrastem, desde que por meio de sensações positivas — em todos os seus materiais. Os digitais, inclusive, como as cores do site, das redes sociais e do blog;
  • cores que gerem um design atrativo e que não canse;
  • cores que gerem identificação mútua;
  • cores que não desapareçam — ou sejam mascaradas — por outros tons presentes em materiais diversos, como o seu catálogo de produtos.

Não é uma tarefa fácil, isso é verdade. Só que a escolha certeira do seu logotipo — após testes e mais testes — é um diferencial e tanto para se aproximar do seu consumidor e criar um relacionamento rico, sólido e duradouro.

Você levou em consideração a psicologia das cores na hora de criar o seu logotipo? Comente a sua opinião sobre o assunto. Ou entre em contato com a equipe LABRA para ajudar nessa questão. Somos especialistas no assunto e você pode conseguir rapidamente o seu orçamento para dar início à elaboração e desenvolvimento do seu logotipo!

Lições que Game Of Thrones ensina sobre marketing e liderança para sua empresa

Lições que Game Of Thrones ensina sobre marketing e liderança para sua empresa

Esqueça os corvos, para transmitir as suas mensagens e os “passarinhos” de Lord Varys para saber o que acontece na sua empresa e no ramo de atuação da sua empresa: Game of Thrones consegue nos ensinar algumas dicas muito mais práticas para você valorizar as estratégias de marketing para a sua empresa!

E, neste post, vamos atuar como um verdadeiro Mão do seu trono, expondo algumas dessas lições valiosas de marketing que vieram diretamente de Westeros. Boa leitura!

Cumpra as suas promessas

O lema da família Lannister cabe, perfeitamente, nas estratégias de marketing que você planeja para a sua empresa. Afinal de contas, as promessas são compromissos firmados e que a sua gestão deve trabalhar, incansavelmente, para cumpri-las.

Do contrário, a credibilidade da sua empresa é colocada à prova. E, em Game of Thrones, descobrimos que essa é a tênue linha entre os motins e a fidelização de outros lordes e reinos à sua empreitada!

Por isso, ao menos nesse aspecto, seja como um Lannister.

Não espere o inverno chegar

A Casa Stark apontou, ao longo de toda a série, que o inverno estava chegando e poucas — pouquíssimas — pessoas deram atenção ao fato.

Que tal levar essa sentença para o dia a dia da sua empresa ao lidar com as estratégias de marketing? Isso significa, em outras palavras, que você deve se planejar em curto, médio e longo prazo para evitar imprevistos e antecipar qualquer tipo de demanda.

Conheça, portanto, o seu público-alvo, entenda as flutuações do mercado e mantenha o seu reino em um invejável nível de estabilidade e prosperidade.

Construa uma boa relação com os seus aliados

Uma andorinha não faz verão e nenhuma majestade governa sem o apoio de outros líderes e pessoas. É o apoio que a sua empresa tem, que a faz dar passos significativos na consolidação de sua marca no mercado.

Participe de eventos do seu setor, faça parcerias e consolide a sua presença digital. Comparando com Game of Thrones, que tal observar toda a trajetória de Daenerys Targarien? Em todas as temporadas, acompanhamos as ações da Mãe dos Dragões em construir um reino próspero, sem correntes e livre.

O mesmo pode ser feito internamente: mostre o que as pessoas têm a ganhar, em trabalhar com a sua empresa. E isso inclui tanto os seus clientes quanto os fornecedores e os seus próprios colaboradores.

Conheça os seus competidores

Nenhum reino entra no campo de batalha sem, antes, conhecer o seu adversário. No mercado, a competição é acirrada e vem de todos os lados. Demarque o seu território, explore as carências do setor e avance o seu exército em todo o terreno digital da internet para angariar, gradualmente, mais espaço.

Sem as estratégias de marketing alinhadas a esses objetivos, é difícil consolidar a sua presença e evitar que os concorrentes assumam um lugar seu — que pode não ser de direito, mas deve ser feito por merecimento.

Evite a impulsividade

Não seja como o rei Joffrey: liderar a ferro e fogo, por muito tempo, desgasta as boas relações — interna e externamente. Um bom líder acompanha as tendências de marketing, ouve os seus conselheiros e não toma nenhuma decisão à base da impulsividade, mas a partir de argumentos e muita ponderação.

Ainda que a ousadia seja apreciada, para desenvolver suas estratégias de marketing é necessário contar com boas alianças e um bom briefing para que as suas ações sejam certeiras, e não meros palpites baseados em instintos.

Mais importante do que o destino é a caminhada

Você pode ter uma série de objetivos, ao considerar as suas estratégias de marketing, como:

  • Aumentar a sua presença digital;
  • Qualificar a relação com o seu consumidor;
  • Colocar o seu site no topo do Google;
  • Atrair mais clientes;
  • Melhorar as vendas;
  • Angariar mais seguidores nas suas redes sociais.

Independentemente dos motivos que guiem a sua empresa a desbravar novos territórios, lembre-se que a caminhada até o seu destino importa, em muito!

Acompanhe as métricas, alinhe-se ao perfil do seu público-alvo, conheça as melhores tecnologias para alcançá-los e qualifique-se continuamente. Dessa maneira, sua empresa não atua como uma simples exploradora e aventureira, mas como se portam os verdadeiros líderes.

Sem esse tipo de postura, pense: por que as pessoas deveriam seguir a sua marca? Não pense que os resultados podem ser obtidos a qualquer custo. Por exemplo: organizações que mentem a respeito de suas histórias para compor um storytelling emocionante podem perder muita popularidade quando a mentira é desmascarada.

Daí, a importância em reconhecer o marketing como um “mapa de Westeros” e usá-lo para nortear-se em torno dos seus objetivos, mas preocupando-se com cada passo dado ao longo dessa jornada.

Pense “fora da caixa”

Aqui vai um bom ensinamento promovido pela intrépida e corajosa Arya Stark: não limite-se às estratégias de marketing que todos usam. Invista em diferenciais (não podemos contar com o apoio do povo de Bravos, mas…) que ainda não foram explorados e surja sorrateiramente para abocanhar a sua fatia de mercado.

Bom exemplo disso é o monitoramento das tendências em marketing digital. Quando você é pioneiro em algo, todo o mercado é pego desprevenido. E, com isso, você constrói uma imagem impecável de líder, no seu setor de atuação, inspirando os outros a ouvirem o que você tem a dizer e, inclusive, a seguir a sua empresa.

Por meio da transformação digital, todos podem assumir o trono de ferro: é importante, apenas, ter em mente o que pode ser feito a partir das ações dos seus competidores, o perfil do seu consumidor e as grandes tendências tecnológicas.

Com essas alianças devidamente equilibradas, uma nova majestade dos sete reinos pode surgir, no horizonte, visando grande prosperidade no mercadológico mundo de Westeros!

Que tal, agora, sairmos um pouco do universo de Game of Thrones, idealizado por George R. R. Martin, e explorar as ações práticas que vão culminar no desenvolvimento sustentável da sua empresa? Para isso, aproveite para dar uma conferida, também, em outro artigo nosso, que explica como gerar um bom planejamento e a implementação de ações de marketing na sua organização!

[e-book] As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Baixar grátis | Agência Labra

Confira tudo que rolou evento Evento Labra Insights 2019 marketing e vendas

Confira tudo que rolou evento Evento Labra Insights 2019 marketing e vendas

O Labra insigths é um evento de marketing digital e vendas, focado em trazer conhecimento e oportunizar network, realizado em Rio do Sul, Santa Catarina.

Este ano, realizamos o terceiro evento, que contou com mais de duzentas pessoas, onde pelo segundo ano consecutivo os ingressos esgotaram dias antes da realização do evento.

Com um público composto por empresários de todo o Alto Vale do Itajaí, e participação de clientes, estudantes e profissionais da área de marketing e vendas, o evento atingiu o seu objetivo.

As palestras tiveram uma importância significativa para o evento e, para ajudar a entender o que foi apresentado no dia ressaltamos os temas e os palestrantes.

Prospecção Ativa – André Perdomo

Prospecção Ativa – André Perdomo

Andre é Atualmente o CEO da Estude Vendas, uma empresa dedicada em consultoria e inteligência de vendas, que ajuda várias empresas a melhorarem o desempenho das vendas.

Procurou transmitir a necessidade dentro das estratégia de marketing digital de incrementar ações de outbound para complementar o processo de vendas.

As novas oportunidades que o outbound marketing podem agregar, permite escalar a novos patamares as empresas, independente do seu segmento, o que precisa ser feito é entender o momento e garantir a efetividade no atendimento.

Com o advento da internet ficou muito mais fácil prospectar clientes e descobrir onde eles estão, permitindo gerar novos negócios. Mas, é necessário ter processos e uma cadência pré definida no intuído de escalar e ganhar mercado.

Visão Geral de Prospecção Ativa

A palestra em si, pautou em temas pertinentes a área de vendas como:

  • Roteiro de Vendas;
  • Perfil do vendedor;
  • Dados do CRM;
  • Gestão baseada em dados.

Deixou para o público o seu curso online: CURSO PRÁTICO EM PROSPECÇÃO ATIVA 

O Futuro de Marketing e Vendas

Caio Vidal da Resultados Digitais veio com uma abordagem muito importante sobre o funil de vendas, alertando sobre a sequência do processo após a finalização da vendas.

O Futuro de Marketing e Vendas

Trouxe a tona a abordagem em cima das empresas que deverão pensar em seus modelos de negócios com um olhar diferente, desenhar processos de marketing e vendas com uma abordagem elaborada na jornada do cliente.

As equipes comerciais devem se tornar ainda mais proativas e com desempenho mensuráveis. E para que isso funcione, será necessário uma abordagem muito maior pelas área de marketing dentro das empresas que não finda na entrega para o comercial.

A discussão vinda do último RD Summit 2018 apresentada pelo CEO da Resultados Digitais, ganha força a cada dia e o Caio Vidal, enfatizou ainda mais esse processo, que afetará no ciclo de vida de um cliente dentro das empresas.

Funil ampola de vendas e marketing

Compartilhando um exemplo prático de vida mostrou o quanto as experiências estão influenciando cada vez mais as pessoas que estão em nosso redor.

Enfatizou que as etapas da jornada deve ser construída entre empresas e permitir uma integração em toda etapa com a empresa.

Quanto a eficiência de vendas chamou atenção em 3 etapas:

  1. Metodologia de vendas;
  2. Tenha Playbook;
  3. Disciplina no processo.

Outra abordagem feita em cima de metodologias que empresas de renomes internacionais estão aplicando a seus processos como:

  1. Spin Seeling;
  2. Sandler;
  3. Winning by Design;

E para fechar com chave de ouro todo o evento:

Omnichannel Mormaii

Sacha Diretor Omnichannel da Mormaii – Trouxe a experiência de vida da @mormaii, com uma abordagem sobre a importância dos canais dentro de qualquer empresa, e que as estratégias devem sempre respeitar a filosofia da empresa.

Omnichannel Mormaii

O Branding da Mormaii, nos mostrou o quanto é importante as empresas conectarem suas marcas a necessidades dos seus clientes, se a sua empresa não resolve um problema para o seu cliente, elá não sobreviverá.

Sinta-se Mormaii

(mais…)

A importância de evoluir o logotipo da sua empresa

A importância de evoluir o logotipo da sua empresa

O logotipo é um dos elementos mais importantes da identidade visual de uma empresa. É por meio das cores, dos traços e das formas utilizadas no logo que a marca se apresenta ao mercado. Também é por meio desta “assinatura” que os consumidores, muitas vezes, reconhecem os produtos desenvolvidos pela empresa.

Mas será preciso evoluir o logo criado? Em que momentos isso deve ser feito? Se você tem estas e outras dúvidas a respeito da evolução do logotipo, está no post certo. Acompanhe a leitura para descobrir mais sobre o assunto!

O conceito de identidade visual

Antes de explorarmos a ideia de logotipo, temos que retroceder algumas etapas para apontar, inicialmente, a relevância da identidade visual para qualquer empresa.

E, afinal de contas, o que é a identidade visual?

No geral, são os elementos visuais que contribuem com a representação da sua marca — seja a sua essência, os seus conceitos e produtos ou serviços. Ela aparece na sua fachada, no site, em materiais gráficos etc..

Isso, de imediato, ajuda na consolidação da empresa no mercado, bem como a sua diferenciação. Para o público, é a oportunidade para gerar identificação e associação, facilitando a sua lembrança para distanciar-se da concorrência.

Logotipo: crie sua identidade visual com a gente, clique aqui! | Agência LABRA

A ideia do logotipo

Dentro do contexto de identidade visual temos o logotipo, que é traduzido como os elementos gráficos de identificação de uma marca. Eles podem ser:

  • letras;
  • números;
  • símbolos.

Isolados ou juntos, vale adiantar, desde que gerem com precisão a identificação que o consumidor necessita para associar à sua empresa. O logotipo é, portanto, uma significação para o seu negócio que pode ser reconhecida a partir desse elemento gráfico.

A importância do logotipo para a empresa

O logotipo — bem como o planejamento estratégico da sua identidade visual — ajudam a transmitir seriedade e profissionalismo a uma empresa.

Sem falar na credibilidade da marca, o que é demonstrado pelo cuidado em construir uma imagem única, exclusiva e associada ao perfil do seu público-alvo.

Portanto, o logotipo é uma tradução rápida e objetiva de quem é o seu negócio e como ele se posiciona naquele mercado em questão.

Do contrário, as empresas perdem identidade. O que diferenciaria, afinal de contas, uma empresa da outra cujas soluções são similares? O cuidado está em agregar essa identificação imediata com o público, e daí o grande valor do logotipo para as empresas.

A força do logotipo para o crescimento da marca

Como adiantamos, o logotipo tem diversas funções no marketing da empresa. É uma ferramenta poderosa para ajudar no posicionamento da marca no mercado.

Só que ele, quando elaborado estrategicamente, também pode (e deve) marcar presença nos materiais da empresa. Isso estabelece e fortalece um relacionamento com o consumidor.

Por isso, o objetivo do logotipo está atrelado à representação visual do conceito da marca, representando também a área de atuação da empresa.

Quer um exemplo disso? Vamos tomar como ilustração o caso do logo da FedEx, empresa americana que realiza entregas. No logotipo da empresa, o espaço entre as letras E e X tem o formato de uma flecha para simbolizar a rapidez nas entregas feitas pela empresa.

Evoluir ou não evoluir o logotipo

O logotipo é um elemento que representa visualmente a marca, certo? O seu conceito, a sua área de atuação e os seus consumidores. No entanto, é importante que a empresa esteja em constante evolução – para aprimorar os seus serviços e se adaptar a novos tempos.

Portanto, é natural que o logo evolua junto, para representar o novo conceito da marca. As mudanças no logotipo também ajudam a reposicionar a marca — quando a empresa procura conquistar uma nova fatia do mercado, por exemplo, ou quando quer agregar valor aos produtos e serviços comercializados.

Também é fundamental evoluir a marca quando ela não condiz com a imagem que a empresa quer passar, com o seu conceito ou com o público-alvo que se espera conquistar.

Vale analisar o logotipo e responder a perguntas como: “meus consumidores se identificam com o logo da empresa?”.

Se a resposta for não, é mais do que hora de fazer ajustes na identidade visual e de evoluir elementos essenciais para o crescimento do negócio, como é o caso do logotipo.

A importância em saber quando se adaptar às mudanças

Com o passar do tempo, surgem novas tecnologias, o comportamento do consumidor muda e aparecem novas tendências. Em momentos assim, também é preciso adaptar o logo que representa visualmente o conceito da marca.

Diversas empresas fizeram isso ao longo dos anos. A onda branca presente no logo da Coca-Cola, por exemplo, só surgiu em 1969. Já a Apple, conhecida pela sua maçã meio mordida, já foi representada por um logo bem colorido.

Essa era a imagem que representava a marca em 1977. As cores foram influenciadas pelo movimento hippie, forte na época e, principalmente, pelo lançamento do Apple II — o primeiro computador pessoal capaz de reproduzir imagens em cores.

Outro motivo para as faixas coloridas era o fato de que Steve Jobs queria atingir um público mais jovem: a ideia era começar a colocar os computadores nas escolas.

Os tempos passaram, o objetivo da Apple mudou e os seus aparelhos evoluíram. O logo da empresa acompanhou estas transformações.

Logotipo: ajuda no desenvolvimento da sua marca. | Agência LABRA

Hoje em dia, a versão “glass” da maçã, sem as faixas coloridas, é ideal para representar o novo conceito da marca que cria aparelhos com design moderno e funcionalidades voltadas para criar uma excelente experiência ao usuário. A nova versão transmite a imagem elegante dos produtos fabricados pela Apple.

Assim como a Apple, a Coca-Cola e milhares de outras empresas, os produtos e serviços do seu negócio evoluem. As demandas do mercado, o seu público-alvo e a sua concorrência também.

Para garantir que os seus consumidores continuem interessados nos seus produtos, atrair mais clientes que fazem parte do seu público-alvo e evitar que a sua empresa perca competitividade é fundamental adaptar a identidade da empresa e o logotipo que representa a marca.

(Re)criando um logotipo de alto impacto

Pois então, vimos que é de grande relevância acompanhar as mudanças do mercado para garantir uma perpetuidade no significado da sua marca para o consumidor.

Esse fortalecimento, portanto, deve ocorrer com um novo planejamento para avaliar a associação da sua identidade visual com as novas perspectivas do mercado e, claro, o perfil do seu público-alvo.

Por isso, para que você possa reinserir a identidade visual da sua empresa com grande impacto positivo, no mercado, reunimos algumas dicas para a sua empreitada, como:

  • reavalie tudo o que você sabe — ou acha que sabe — sobre a sua empresa. Refaça as pesquisas já feitas e confira quais valores e representações ficaram datados;
  • reposicione o seu logotipo para compreender se ele ainda está de acordo com os pilares institucionais da sua marca (missão, valores e visão);
  • pesquise novamente tudo a respeito do seu público-alvo. Em seguida, associe-o à representação gráfica da sua empresa;
  • analise a concorrência e perceba como ela se mobilizou nesse sentido. Eles mantêm o mesmo logotipo ou se reestruturaram também para inovar no mercado?
  • estude o significado dos elementos gráficos usados no seu logotipo. Tente reforçar todos os diferenciais da sua marca, sem perder a relevância para a percepção do público;
  • registre o seu novo logotipo e divulgue-o nos seus principais canais de comunicação. Reforce o significado dele para a sua audiência e mensure a recepção do público.

E então, deu para entender o valor agregado do logotipo da sua empresa e o quanto ele tem valor na representação do o conceito de sua marca? Deixe a sua opinião sobre o assunto nos comentários, e aproveite para saber mais a respeito do tema baixando gratuitamente o nosso portfólio sobre identidade visual! Lá, você vai saber o que a Agência Labra pode fazer para ajudar no desenvolvimento do seu logotipo!

Marketing Integrado: melhore seus negócios com essa estratégia

Marketing Integrado: melhore seus negócios com essa estratégia

Indiscutível o poder do consumidor, hoje em dia, em se relacionar com as marcas que ele mais consome. Graças à internet e outras ferramentas tecnológicas, que estão sendo usadas para melhorar a experiência do consumidor, gerar mais valor às empresas e, construir um relacionamento primoroso entre ambas as partes. E é aí que entra o marketing integrado.

Caso o termo ainda não seja familiar, pode ter certeza que você já se viu rascunhando ações estratégicas, que fazem parte do marketing integrado. E, para que você coloque suas ideias em prática, neste post vamos ver como melhorar o seu negócio com uma estratégia de marketing integrado. Acompanhe!

O que é o marketing integrado?

Em resumo, ele pode ser definido com a sincronia de diversas ferramentas do marketing digital e convencional, e o alinhamento de todos os departamentos com o marketing, visando melhorias na experiência do consumidor.

Vamos a um exemplo prático: digamos que um cliente adquiriu um de seus produtos, e ele se equivocou com o modelo que necessitava. Assim, ele passa por um processo burocrático até conseguir efetuar a troca. Com o marketing integrado, a premissa é simples: reduzir ao máximo a canseira que o consumidor vai enfrentar até conseguir trocar o produto.

Isso porque os departamentos passaram por uma revisão para tornar todo o processo mais integrado, com um alinhamento entre o SAC, suas redes sociais, atendimento, o marketing e, os vendedores. Isso define processos mais rápidos e personalizados, aprimorando a experiência do cliente.

Quais são as vantagens do marketing integrado?

Explorar uma união sólida e eficiente entre os departamentos da empresa e as ferramentas de marketing pode configurar uma série de vantagens para o seu negócio, como:

Mais valor à sua marca

Atualmente, uma empresa preocupada na experiência do consumidor tem mais valor agregado. Isso porque as pessoas podem interagir digitalmente e ajudar na promoção dos diferenciais de sua empresa. A percepção de marca é valiosa, e o marketing integrado tem o poder de fazer isso acontecer.

Fidelização de clientes

Com mais valor agregado, sua empresa consegue reter os clientes, que vão perceber todo o valor por trás de um serviço ou produto e, sequer vão prestar atenção às investidas da sua concorrência.

Como usar o marketing integrado?

A seguir, entenda o passo a passo que desenhamos para você visualizar as possibilidades de implementar o marketing integrado em sua empresa:

  • Crie uma cultura de integração, mais colaborativa e unida;
  • Avalie todo o fluxo de trabalho e promova ideias que possam reduzir os trâmites para tornar o atendimento mais rápido, eficiente e humanizado;
  • Capacite os colaboradores para que a abordagem e o tom de voz de sua marca sejam refletidos no atendimento deles;
  • Use a tecnologia para aprimorar o relacionamento com o público, como as redes sociais e o email marketing, entre outros.

Lembre-se, para que isso tudo ser planejado de maneira eficiente, o marketing integrado tem como premissa básica a ideia de que você conhece o seu público-alvo. Não apenas isso: você sabe todo o percurso dele até se deparar com os seus produtos ou serviços, tendo todo o funil de vendas já desenhado.

Afinal de contas, o marketing digital é formulado a partir dessas informações. Quanto mais você conhecer o seu cliente ideal, melhor será o uso do marketing integrado para proporcionar experiências memoráveis para o consumidor.

Além, é claro, de servir para outras estratégias relevantes, como o inbound marketing. Para que você tenha um deslumbre de como isso tudo funciona de maneira integrada, não deixe de conferir também nosso post a respeito de quais tipos de empresas podem usar o inbound marketing!

Pin It on Pinterest