O impacto da transformação digital para o setor automotivo

O impacto da transformação digital para o setor automotivo

Independentemente do segmento, o desenvolvimento de empresas passa, hoje em dia, invariavelmente pela consideração de novas tecnologias implementadas no seu fluxo de trabalho. A transformação digital está em todos os lugares, e o setor automotivo não é exceção.

Acontece que, para muitos empreendedores, esse impacto ainda soa como novidade — não à toa, muitas empresas brasileiras ainda estão situadas na era da internet 1.0.

Portanto, este artigo pode ser o seu primeiro contato aprofundado com os benefícios da transformação digital para desenvolver o seu negócio do setor automotivo. Para saber mais a respeito, é só seguir com esta leitura!

[E-book} Marketing Industrial: Como gerar novas vendas | Baixar nosso material gratuitamente | Agência LABRA

O que é a transformação digital?

Uma maneira de repensar o modelo de negócio, mas não por opção: a transformação digital é uma necessidade para qualquer empresa que esteja disputando o seu espaço no nicho de atuação.

Sem falar que, no setor automotivo, já existe amplitude na concorrência que disparou no investimento de novas tecnologias para aumentar a produtividade e, assim, aumentar a renda.

Portanto, a transformação digital é fundamental para gerar competitividade, melhorar os resultados, aumentar as vendas e também na qualificação da sua mão de obra.

Como a transformação digital se apresenta no setor automotivo?

Independentemente do segmento em que a sua empresa se fixe, no setor automotivo, existe algo em comum em todas as áreas: a importância em gerar uma boa experiência para o cliente. O foco, agora, é digital e o público-alvo da sua empresa já usa a internet no dia a dia.

Como a transformação digital se apresenta no setor automotivo?

Com isso, fica a questão: por que não investir em transformação digital para aproximar-se, relacionar-se e criar uma experiência única para o seu consumidor e clientes em potencial?

Pode ser desafiador, a princípio, mas existem diversas tecnologias que podem ser aplicadas continuamente até que o seu negócio esteja alinhado para isso, como:

Só que o ponto de partida tende a ser um só, como veremos a seguir.

Qual é a importância da experiência do cliente?

Fundamental, hoje em dia. Com a mudança dos processos analógicos para o digital, o setor automotivo se tornou mais ágil, dinâmico e produtivo. Para o consumidor, essa velocidade elevada se configurou em uma exigência para efetuar a sua compra.

Consequentemente, as empresas devem se alinhar a isso, compondo estratégias mais personalizadas, eficientes e desobstruídas de imprevistos. Quando isso funciona, cria-se uma boa percepção de marca e boas recomendações. Do contrário, o cliente em potencial vai para a concorrência.

Até por isso, a transformação digital está intrinsecamente ligada ao marketing digital e ao seu braço mais produtivo: o marketing de conteúdo. Com as inovações tecnológicas, as ações para abordar, interagir e relacionar-se com o consumidor também tiveram que ser remodeladas. Inclusive, o marketing.

Por isso, ao conhecer o seu público-alvo, a experiência do cliente pode ser amplamente valorizada, uma vez que as campanhas de marketing se transformam em instrumento de atração de clientes. Os interessados vão se relacionar mais com a sua marca e, continuamente, você personaliza as ações para que atendam à demanda dele.

Convém analisar, portanto, como o marketing digital tem participação ativa nesse processo de transformação digital para a sua empresa no setor automotivo.

E na sua produtividade?

Pensando de maneira interna, focada exclusivamente no desenvolvimento da sua cadeia produtiva, a transformação digital é significativa no setor automotivo. Vamos ver de quais maneiras?

Transformação digital para o setor automotivo: indústria 4.0 | Agência LABRA

  • Cadeia de suprimentos conectada, onde as montadoras usam a tecnologia para aprimorar a comunicação entre as etapas produtivas, identificando carências e oportunidades dentro desse fluxo;
  • As tecnologias dentro da indústria 4.0 — como as citadas anteriormente — alinham produção, estratégia e eficiência com economia;
  • Automatização, para que a produção transcorra com o mínimo de interferência humana, o que agrega menos riscos e erros no trabalho;
  • Possibilidade de gerar presença digital e compor novos canais de vendas e de comunicação para a sua empresa.

Isso tudo, explorado sem muita dificuldade. O setor automotivo é amplo, diversificado e está cada vez mais mobilizado para acomodar a transformação digital. É a hora de identificar quais dessas possibilidades e tecnologias podem fazer parte de suas futuras estratégias.

Por onde seguir com a transformação digital?

Agora que já vimos as noções iniciantes para moldar o modelo de negócio da sua empresa para a transformação digital, que tal darmos sequência com mais dicas sobre o assunto?

No geral, é importante observar os seguintes fatores:

  • Qual é o porte do seu negócio, e onde são as maiores carências diagnosticadas;
  • Quais soluções contribuem para a minimização dos problemas identificados;
  • Qual é o impacto, em números, de investir em novas tecnologias;
  • Quais tipos de tecnologias podem ser alinhados à realidade do seu negócio.

Em seguida, é importante discutir a questão de integração das tecnologias e informações. Gerá-las faz com que a sua empresa permaneça em constante monitoramento, o que permite a realização de ajustes em tempo real, minimizando qualquer risco ou prejuízo em potencial em tempo hábil.

Quando investir em transformação digital?

Com base em tudo o que vimos aqui, você deve ter percebido que o setor automotivo, como um todo, já está se mobilizando para investir em novas tecnologias e gerar experiências personalizadas para o consumidor.

Portanto, a hora de investir é agora, mas com planejamento — detalhe essencial. Se a manufatura ainda não é a área que mais demande a sua atenção, por que não começar tentando relacionar-se com eficiência?

Para isso, você pode iniciar a transformação digital interna e externamente, construindo canais de comunicação valiosos para o seu negócio.

A integração entre os setores de marketing e vendas é um deles. Uma maneira simples e funcional de ingressar na transformação digital, avaliar novas estratégias para impactar positivamente o seu público-alvo e, ainda, aumentar as vendas.

Sabemos, inclusive, que são muitas informações, e bastante diversificadas, para assimilar. Por isso, planeje-se de acordo com o seu tempo, sem queimar etapas.

E, se você deseja dar um passo além, rumo à indústria 4.0 nos processos da sua empresa, aproveite para conferir outro artigo nosso, que explica como a integração entre o marketing e vendas pode ajudar o setor industrial. Boa leitura!

Como a realidade aumentada auxilia no desempenho das máquinas industriais

Como a realidade aumentada auxilia no desempenho das máquinas industriais

A revolução da indústria 4.0 já é realidade nas fábricas de todo o mundo. O novo meio de integração operacional é capaz de aumentar drasticamente a produtividade, melhorar todos os processos e entregar com maior velocidade os produtos para os clientes.

Assim como a produção, a tecnologia industrial auxilia também no desempenho das máquinas industriais antes, durante e depois do funcionamento trocando informações de forma autônoma.

O responsável por fazer os equipamentos mais eficientes é a realidade aumentada, que consegue dar informações aos operadores, prevendo o desempenho das máquinas e quanto elas podem ser produtivas, inclusive de falhas e quebras do equipamento.

O que é realidade aumentada?

Essa tecnologia nada mais é que um ambiente imersivo criado por softwares de computador que integram o mundo real ao digital. Muito conhecidos nos aplicativos de smartphones, a realidade aumentada desses programas fazem a leitura de adesivos no local que tenha conexão à internet.

Com essa imersão, é possível haver uma interatividade entre os dois mundos desempenhando inúmeras atividades.

Na indústria, essa tecnologia auxilia nas informações do funcionamento das máquinas, como a produção, a integridade da máquina, e os seus limites para os operadores, dando uma maior eficiência na utilização dos equipamentos industriais.

Augmented Reality Industries GIF - Find & Share on GIPHY

Como funciona

As etiquetas que são colocadas para a leitura tem o QR code, que após a leitura, há a imersão dos dois mundos. Quando aplicado aos equipamentos, ele dá uma série de instruções de troca de peças, quando ela deve acontecer através de animações, que surgem na tela para demonstrar os passos. Com apenas uma ou mais fotos, o processo fica muito mais ágil de resolução, do que os velhos métodos de anotações em planilhas.

Para que a imersão aconteça, é necessário uma câmera ou dispositivo reprodutor de imagens que são capazes de transmitir imagens do objeto real, precisa também de software que interpreta a transmissão do sinal pela câmera.

Realidade Aumentada X Realidade Virtual

Um grande número de empreendedores que desejam entrar no segmento de automação industrial tem dúvidas e até confundem os dois termos.

Ambos têm similaridades de integração, porém, os objetivos são diferentes. Por um lado, a realidade aumentada atua na conexão entre mundo real e virtual no local em que você se encontra, podendo se interagir de maneira que quiser. Ou seja: a pessoa está no mundo real, com informações virtuais.

Já a realidade virtual transfere a pessoa para um outro local, como os simuladores de vídeo-games e de montanha russa, que nos faz sentir como se estivéssemos dentro do ambiente, entretanto, a movimentação é limitada e robotizada. Entendidos os dois conceitos, está na hora da aplicação no setor industrial.

Virtual Reality GIF - Find & Share on GIPHY

Realidade aumentada nas máquinas

Com os equipamentos que integram esse tipo de tecnologia, é possível prever uma série de ações sem precisar de manuais ou de instruções de terceiros. Mas, pode parecer estranho no primeiro momento, por isso, as empresas devem aplicar os procedimentos para melhorar a qualidade na linha de produção. Os maiores benefícios são:

Treinamento: todo equipamento quando chega a fábrica precisa de profissionais preparados. No caso da realidade aumentada, é preciso fazer muitas simulações e atividades na prática;

Locais dos itens: a realidade virtual consegue indicar onde fica determinado equipamento e outros itens a disposição;

Reconhecimento: é possível conhecer as peças usadas e o padrão de funcionamento, prevendo determinados movimentos antes de alcançar o equipamento;

Imagens: a partir da sobreposição de imagens, os técnicos têm mais facilidade para ver as máquinas por dentro, melhorando a agilizando a manutenção;

Conforto: para ter acesso virtual aos equipamentos, basta o uso de um smartphone e tablet para analisar e resolver os problemas nas máquinas;

Processamento: com a tecnologia de realidade aumentada, todo processo passa a ser informado e coletado em tempo real, sem a necessidade de outros equipamentos específicos de medição. Além disso, é possível o acesso de um especialista remotamente, que com apenas um dispositivo, consegue resolver os problemas de manutenção;

Redução de custos: usando um menor número de equipamentos e facilitando os processos, é natural que haja uma melhoria operacional com uma grande redução nos custos, pois todas as instruções são previamente informadas pelo software.

Os resultados

A presença dessa tecnologia é capaz de abrir uma nova dimensão na maneira como as tarefas são realizadas, tanto das pessoas, quanto as executadas pelas máquinas. Graças a interação entre o mundo real e o virtual.

Em média, a diminuição de trabalho na produção das peças e do funcionamento é de 30%. Por isso, a lucratividade do setor supera a casa dos bilhões de dólares, se tornando uma sensação em todas as indústrias.

Em resumo

A realidade aumentada é um dos braços da indústria 4.0, junto com a internet das coisas e a automação industrial, consegue fazer a integração eficiente de máquinas e pessoas visando a melhor produtividade.

Essa tecnologia consegue ajudar todos os funcionários em todos os processos, desde os mais simples, como acionamento da máquina, até os mais complexos, como a regulagem satisfatória dos equipamentos, usando apenas aplicativos de smartphones.

Pela redução de custos e aumento da produtividade, a realidade aumentada está cada vez mais fazendo parte da realidade das empresas, ajudando tanto os empreendedores, quanto colaboradores.

Você se interessou pelo assunto? Tem alguma dúvida? Deixe o seu comentário abaixo ou entre em contato conosco pelo portal Soluções Industriais!

Estratégias de Marketing Digital essenciais para indústria 4.0

Estratégias de Marketing Digital essenciais para indústria 4.0

O Marketing Digital continua em ascensão e, quem está na indústria 4.0 sabe o quanto é importante manter sua empresa ativa nas mídias sociais e nos principais meios de busca.

Com uma boa estratégia de marketing é possível atrair clientes para seu site, fidelizar sua base de clientes, criar relacionamento e, gerar boas vendas.

Para que a sua indústria obtenha resultados através do marketing digital, separamos 5 estratégias de marketing digital que são essenciais para a indústria 4.0, confira!

[E-book]  As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Agência LABRA

Sites institucionais

O primeiro passo, e um dos mais importantes para uma boa estratégia de marketing digital é o site institucional, o cartão de visita virtual da empresa.

É através dele que seu público-alvo vai encontrar sua empresa, conhecer seu produto, buscar informações e fazer contato. Para que isso aconteça, é necessário que o seu site institucional atenda a alguns requisitos básicos, como:

Layout

É necessário que layout seja simples, sem muitas informações visuais (poucas cores, imagens em locais estratégicos, fontes padrão, por exemplo). É importante também que o site institucional seja desenhado de acordo com a identidade visual da sua empresa, fazendo com que o usuário identifique mais facilmente a marca.

Informações e conteúdo

É de extrema importância que os conteúdos do seu site institucional estejam completos e atualizados. Afinal de contas, os internautas acessam o seu site para buscar informações relevantes sobre seus produtos e/ou serviços.

Não perca a chance de levar o máximo de informações pertinentes para seu público. Outro fator importante são os guias de acesso das páginas internas, eles devem ser pensados de forma estratégica para facilitar as buscas dos conteúdos dentro do site.

Call to action (CTA) ou chamada para ação

O call to action, ou chamada para ação, é essencial para as estratégias de marketing digital. É através dele que o visitante do seu site institucional poderá acessar um conteúdo rico ou deixar os dados de contato em algum formulário.

Esses dados são necessários para sua equipe de vendas fazer um contato futuro ou para o setor de marketing trabalhar estratégias de relacionamento com este lead, gerando conteúdos relevantes com intuito de converter e se tornar uma oportunidade de vendas.

Site responsivo e mobile:

Você sabia que 64% dos brasileiros acessam a internet diariamente pelo celular?! Dados do Thing With Google também afirmam que 61% dos usuários desistem de acessar um site quando não está otimizado para o mobile. Com este aumento considerável no uso dos Smartphones em nosso país, se torna essencial que o seu site esteja adequado a esta “pequena tela”.

Gerar conteúdos próprios (blog)

Quando falamos em marketing digital para indústria, um dos principais pilares para uma um planejamento estratégico bem definido é a geração de conteúdos próprios.

Estratégias de marketing de conteúdo para sua indústria gerar mais oportunidades | Agência LABRA

Quando o seu site tem conteúdo relevante sobre seus produtos para seu público-alvo, é muito provável que seu cliente encontre seu conteúdo nos sites de buscas como o Google, por exemplo.

Isso tudo é possível se seu conteúdo de blog — além de ter um conteúdo relevante — contar com palavras-chaves estratégicas, e um trabalho de SEO (Search Engine Optimization) ou Otimização para mecanismos de busca em seu conteúdo.

Com este pilar do marketing digital para indústria, seu site institucional ganhará autoridade na internet e os usuários passam a confiar mais na sua marca.

Campanhas pagas (Google Adwords)

Falar de Marketing Digital e não citar o site de buscas mais acessado do mundo, o Google, seria um erro. O “topo do Google” é sempre muito disputado pelas empresas, pois são nos links da primeira página que os usuários costumam clicar e acessar os conteúdos.

O próprio Google aponta que 75% dos usuários que fazem uma pesquisa, não passam da primeira página, procurando o que precisam nos primeiros 10 links disponíveis.

Mas, isso não é tarefa fácil. Além do trabalho de geração de conteúdos próprios que citamos acima, outro ponto muito importante é promover o seu conteúdo, site ou material através de anúncios no Google Adwords.

Através desta mídia é possível dar lances em palavras-chaves que estão relacionadas às buscas dos seus clientes, e com isso, ganhar posição na página mais disputada do site de buscas.

E-mail Marketing

Apesar de muitas empresas desconsiderarem o uso de e-mail marketing em sua estratégia de marketing digital, ele é uma excelente ferramenta para se relacionar com seu público, sobretudo, quando se trata de indústria. Utilizando o e-mail marketing é possível:

  • Divulgar seus conteúdos de blog e/ou materiais ricos para seu público-alvo;
  • Enviar e-mails segmentados para sua base de contatos;
  • Falar sobre as ações da sua empresa;
  • Mensurar resultados através dos indicadores fornecidos na ferramenta de envio, como: acompanhar quem abriu o e-mail, taxa de abertura, taxa de clique, entre outras métricas de gestão.

Mídias sociais

As mídias sociais são acessadas diariamente por milhares de pessoas. Esses usuários utilizam as mídias sociais para interagir com perfis e páginas, ver as novidades, acessar a diversos tipos de conteúdos e, também é considerado uma opção de fonte de busca.

[infográfico] Quanto tempo dura a vida útil de um post nas mídias sociais? | Baixe gratuitamente e descubra | Agência LABRA

Agora, como as indústrias podem aplicar isso na sua estratégia de marketing digital? Através das mídias sociais é possível:

  • Gerar relacionamento com seu público;
  • Interagir com ele através de comentários e chat;
  • Gerar novos leads (captar contatos) por meio de anúncios de captação de leads;
  • Divulgar novos materiais para o seu público-alvo através de anúncios direcionados.

Conclusão

Essas são as 5 ações de marketing digital essenciais para a Indústria 4.0. Com essas ações funcionando em conjunto com a equipe comercial e de marketing da sua indústria, é possível gerar grandes resultados, fazendo com que a sua indústria se destaque no meio digital, além de fortalecer a sua marca perante ao seu público-alvo.

Agora que você já sabe os pilares essenciais para sua estratégia de Marketing Digital, veja como impulsionar as vendas na indústria com nosso E-book Marketing Industrial: como gerar novas vendas!

Acordo é assinado entre SESI e SENAI com a Microsoft para capacitar jovens em Inteligência Artificial

Acordo é assinado entre SESI e SENAI com a Microsoft para capacitar jovens em Inteligência Artificial

A inteligência artificial está invadindo, gradualmente, diversas camadas produtivas da sociedade. Hoje em dia, tornou-se comum a identificação da tecnologia inserida na nossa rotina.

Ciente disso, o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), o SESI (Serviço Social da Indústria) e a Microsoft se reuniram para alinhar os valores dos perfis jovens, de hoje em dia, para capacitá-los desde cedo com esse tipo de tecnologia.

Para isso, foi assinado um acordo de cooperação que visa o apoio à educação e capacitação de mão de obra. Ou seja: uma qualificação em inteligência artificial que começa cedo, para os futuros profissionais do setor industrial.

Quer saber mais a respeito? Basta seguir com a leitura deste post!

[E-Book] As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Agência Labra

A inteligência artificial

Tecnologia focada na automatização de processos e no contínuo aprendizado, a inteligência artificial tem agregado muito à indústria e também a outros setores produtivos.

Afinal de contas, esse processo confere aos equipamentos e maquinários a capacidade de identificar melhorias contínuas com base no seu próprio fluxo. É como se os robôs aprendessem, de fato, com o hábito de suas rotinas.

Como resultado, a indústria adquiriu mais produtividade com um uso mais consciente e estratégico de recursos. Além disso, a mão de obra foi reposicionada para uma área de planejamento, considerando que as máquinas conseguem realizar as atividades mecânicas e repetitivas com agilidade e precisão.

A parceria entre SESI, SENAI e Microsoft

É aí que entra o grande valor da parceria comercial que mencionamos na abertura deste artigo. Cientes de que o mundo está em constante transformação — e em ritmo acelerado —, os três órgãos assumiram a frente para a capacitação de jovens em inteligência artificial.

A principal medida, nesse sentido, foi apresentada desde o dia 12 de março, quando quatro cursos gratuitos foram disponibilizados no site Mundo SENAI.

Em tempos de indústria 4.0 — a revolução digital na indústria —, os cursos despontam como um diferencial e tanto para os interessados não apenas em inteligência artificial, mas no crescimento do setor como um todo.

Isso porque a plataforma digital pode ser acessada por alunos da rede do SENAI e também do SESI. Um complemento fundamental para a lapidação dos futuros profissionais do setor.

Quem fez o anúncio foi a Satya Nadella, CEO da Microsoft, em um evento focado em inteligência artificial. Estiveram presentes, também, Rafael Lucchesi — diretor-geral do SENAI e superintendente do SESI — e a presidente da Microsoft no Brasil, Tânia Cosentino.

Os cursos oferecidos em inteligência artificial

Os primeiros cursos que foram disponibilizados na plataforma são os seguintes:

  • Introdução à inteligência artificial;
  • Introdução à ciência de dados;
  • Fundamentos da ciência de dados;
  • Desenvolvimento de soluções com serviços cognitivos Azure, bot e IoT.

A ideia é que, ao longo dos próximos meses, mais cursos sejam disponibilizados, permitindo uma amplitude precisa nos conhecimentos dos jovens. Alguns exemplos do que está previsto: cursos para a visão computacional em IA e chatbots, entre outros.

Nós temos uma enorme oportunidade de gerar avanços em tecnologias digitais – e especificamente em IA – para empoderar cada pessoa e cada organização no Brasil a conquistar mais”, Satya Nadella revelou, à ocasião.

Os cursos oferecidos em inteligência artificial

Segundo ela, “ (…) estamos comprometidos em assegurar que todos os brasileiros se beneficiem desses avanços, e é por isso que hoje estamos anunciando uma parceria com o SESI e o SENAI para disponibilizar aos mais de 3 milhões de estudantes treinamento em habilidades de IA contribuindo para capacitá-los para os empregos do futuro”.

Nesse cenário contemporâneo em que tudo se assimila à realidade on-line — como o marketing digital para indústrias —, esse esforço humano para capacitar a mão de obra do futuro é elementar para o desenvolvimento do setor.

E, se você quer saber um pouco mais a respeito dos rumos que a indústria está seguindo para acompanhar as inovações tecnológicas, aproveite para conferir também nosso artigo que aponta as soluções apresentadas pelo SENAI para colocar o Brasil, definitivamente, no contexto da indústria 4.0!

Gestão de segurança e saúde no trabalho: tecnologias e estratégias para empresas se aperfeiçoarem

Gestão de segurança e saúde no trabalho: tecnologias e estratégias para empresas se aperfeiçoarem

A indústria 4.0 é uma realidade consolidada e, hoje em dia, estamos testemunhando uma série de soluções que pode reinventar a produtividade, a economia e, inclusive, a gestão de segurança e saúde no trabalho.

E não pense que isso significa pouco para o setor, como um todo: em média, saúde ocupacional e planos de saúde tendem a corresponder a 12% da folha de pagamento das empresas.

Muito tem sido feito, portanto, para agregar mais valor à produção industrial. Por isso, neste post vamos ficar por dentro do quanto a tecnologia está participativa na gestão de segurança e saúde no trabalho. Boa leitura!

O custo da gestão de segurança e saúde no trabalho para a indústria

De acordo com Emmanuel Lacerda, gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do Serviço Social da Indústria (SESI), esses custos devem demandar, em curto prazo, “ (…) um controle maior dessas questões já que, com o envelhecimento da população, os custos com saúde devem aumentar ainda mais. Melhorar a eficiência na gestão de saúde dos trabalhadores é prioridade das empresas”.

[E-Book] As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Baixe gratuitamente | Agência Labra

O próprio SESI tomou a frente da questão. Em fevereiro, o eSocial: Integrações entre o SESI VIVA+ e sistemas de folha reuniu empreendedores e especialistas do setor de tecnologia para apresentar algumas soluções nesse sentido e aprimorar a gestão de segurança e saúde no trabalho.

À ocasião, foi apresentada uma plataforma muito bem enraizada com a indústria 4.0: facilidade de integração entre tecnologias, agilidade e precisão na coleta e utilização de dados e até mesmo uma calculadora de gestão de custos relacionados à segurança e à saúde no ambiente de trabalho.

Para reduzir os custos das empresas sem que, com isso, impacte na qualidade de vida dos colaboradores, a plataforma cruza um banco de dados nacional (como a realidade nacional e critérios legais sobre o assunto) com as informações das próprias empresas, como:

  • Custo com ações focadas na saúde e na segurança dos profissionais;
  • Dados quantitativos de colaboradores que usufruem das medidas de segurança e saúde;
  • Hábitos dos trabalhadores;
  • Índices (como aquele relacionado ao afastamento de profissionais por conta de uma doença ou acidente).

Com essa tecnologia, a empresa passa a saber de forma precisa quais os principais desafios de saúde dos seus trabalhadores e poderá canalizar recursos para ações que darão mais resultados”, aponta o médico do trabalho do Centro de Inovação SESI em Economia para Saúde e Segurança, Cláudio Patrício, que tem participação ativa na elaboração dessa solução.

A importância de soluções desse tipo

Com uma projeção ficada no lançamento da plataforma até o final de 2019, o SESI pretende dar uma guinada ao setor, aproximando as indústrias ainda residentes na era da internet 1.0 das grandes revoluções tecnológicas do setor.

A ideia dessa plataforma tem como principal objetivo o uso estratégico de informações para o planejamento e uma tomada de decisão mais assertiva em assuntos sobre a gestão de gestão de segurança e saúde no trabalho.

Gestão de segurança e saúde no trabalho na indústria | Agência Labra

Para tanto, o SESI tem se reunido com empresas de diferentes áreas — e com real interesse em soluções desse tipo — para garantir total eficácia na sua plataforma.

Nesse contexto, o órgão tem trabalhado em diferentes frentes para alcançar esse objetivo. São elas:

  • Economia em saúde e segurança por meio da identificação de gastos desnecessários;
  • Fatores psicossociais, que interferem gradualmente na produtividade dos profissionais;
  • Aumento do controle de agentes químicos e produtos nocivos à saúde;
  • Soluções para a redução do afastamento em decorrência de doenças ou acidentes de trabalho;
  • Inovações para promover o envelhecimento ativo;
  • Metodologias e soluções para melhorar a ergonomia no ambiente produtivo.

Vale destacar que o SESI permanece em contato — e à espera de novos contatos — para coletar mais amostras significativas para o seu banco de dados.

Com isso, obtém-se um aliado de peso para aumentar, qualitativamente, a gestão de segurança e saúde no trabalho. E, se você estiver em busca de mais informações a respeito do momento que vive a indústria nacional, confira nosso post com as perspectivas para 2019 associadas às indústrias têxteis no Brasil!

O novo marketing 4.0: para melhorar a prospecção e vendas

O novo marketing 4.0: para melhorar a prospecção e vendas

Desde que um dos pais do marketing — Philip Kotler — citou o termo marketing 4.0, o mercado parou para ouvi-lo. Tratava-se do momento de transição das impactantes mudanças que o mercado empreendeu para atrair e se relacionar melhor com o seu consumidor. E tudo isso no contexto digital que já se formava quando Kotler mencionou o marketing 4.0.

A questão que fica, no entanto, é: qual é a aplicação real do marketing 4.0 para melhorar a sua prospecção e aumentar o volume de vendas? Para responder a essa pergunta, nós convidamos você a seguir com a leitura deste post!

Por que marketing 4.0?

Assim como vivemos no momento da indústria 4.0, na qual somos testemunhas da quarta revolução industrial em nossa sociedade, o marketing também passou por uma interessante cronologia evolutiva.

A primeira delas ocorreu em meados da década de 1970, quando a divulgação de produtos e serviços ocorria de maneira linear — das marcas para os clientes. Seu tom de voz, abordagem e informações disponibilizadas dependiam, exclusivamente, dos interesses das empresas.

Marketing 4.0 e Indústria 4.0 | Agência Labra

Já em meados da Era da Informação, a segunda onda do marketing chegou com uma preocupação maior com o consumidor. Mais que oferecer, as empresas passaram a persuadir o público-alvo. Uma justificável mudança, considerando que foi paralela ao aumento da concorrência e de mudanças no perfil do público.

Em seguida, junto com o século 21 veio a Transformação Digital — uma era em que ainda estamos embrionários nas descobertas e possibilidades de uso das tecnologias virtuais. O tratamento próximo e humano com o consumidor se fez necessário.

Mas, mais que isso: também escancarou uma nova definição nas relações. Com a internet, os consumidores passaram a deter a informação também. Eles passaram a ter mais autonomia para a tomada de decisão, o que impulsionou o marketing digital no meio.

Foi também quando o conceito de marketing 4.0 — definido recentemente — se aproximou do mercado. O termo foi cunhado por Hermawan Kartajaya e Iwan Setiawan, com a colaboração de Phillip Kotler, para, justamente, exprimir a transição definitiva do analógico para o digital.

Qual é a aplicação do marketing 4.0?

Muitos já são inseridos no mercado com a noção de que as redes sociais fazem parte das estratégias de atração e relacionamento com o público. Acontece que esse uso estratégico é até recente.

O marketing 4.0 chegou com o peso tecnológico sobre os ombros, modificando a maneira que enxergávamos o mercado. E, se hoje pipocam diversas tendências de marketing digital, muito desse sucesso pode ser associado ao termo eternizado por Kotler.

E é com base nas reflexões do próprio estudioso que vamos apontar como você pode usar a horizontalidade da internet para atrair mais clientes e promover mais vendas em sua empresa. Isso porque o marketing 4.0 pode ser usado em um processo que compreende 5 etapas:

Assimilar 

É o momento de concentrar ações que impactem o seu público-alvo, que sejam relevantes. Para isso, é fundamental conhecer o perfil do seu público, ter a sua jornada de compras mapeada e compreender as dores, desafios, objetivos e necessidades dele.

Com isso, você pode montar uma estratégia que tenha tudo a ver com as pesquisas online que o seu consumidor ideal faz. É o caso das já citadas redes sociais, dos blogs posts e de outros materiais educativos e relevantes, que ajudem a construir no ideário do público a sua marca.

Atrair

Com mais conectividade e presença digital, você tem os meios e as ferramentas para atrair novos consumidores. É o momento de despertar a curiosidade do público, apresentar a eles os diferenciais dos seus serviços e produtos e, ainda assim, manter a estratégia anterior para que eles encontrem primeiro o seu negócio na internet — em detrimento da concorrência.

Arguir 

Materiais ricos, como e-books e infográficos, e estratégias relevantes de alto impacto, como o e-mail marketing, são cruciais nesta etapa. Afinal de contas, aqui o seu consumidor já sabe qual problema ele enfrenta e quais são os principais meios para solucioná-los. Falta, portanto, ele entender quem oferecer as melhores condições.

E é aí que você deve usar o marketing 4.0 para compor uma aura consolidada de sua reputação. Use a internet para mostrar os seus diferenciais, como um atendimento personalizado e diferenciado — não esquecendo os canais digitais, como as redes sociais.

É nesse ponto que acontece a transição: um usuário anônimo já tem nome e necessidades específicas. Assim, o marketing e o setor de vendas integram esforços para guiar esse consumidor em potencial em um efetivo cliente.

Agir 

Todos os argumentos de venda já estão firmados e é hora de colocá-los em prática. Isso porque os vendedores já sabem tudo o que precisam saber a respeito do cliente em potencial, bastando o cuidado para fazê-lo perceber, por conta própria, que é hora de adquirir os seus produtos ou serviços.

Apologia 

Por fim, a venda foi efetuada, mas o trabalho promovido com o marketing 4.0 não se encerra aí. O pós-venda é um elemento de fidelização crucial para as suas estratégias e, agora, o que sua equipe deve fazer é manter o consumidor atento às suas novidades e dicas.

Com isso, nutre-se um relacionamento duradouro e de qualidade. Diante de uma nova necessidade, o seu cliente já saberá a quem recorrer.

Quando investir em marketing 4.0?

O momento é agora. E, sem dúvidas, mesmo sem esforçar-se a sua empresa já deve estar inserida em algum nível de profundidade, no conceito de marketing 4.0.

[E-BOOK] MARKETING INDUSTRIAL COMO GERAR NOVAS VENDAS | Agência Labra

Pode ser um catálogo virtual disponível no seu site, na presença — por mais tímida que seja — nas redes sociais ou até mesmo mediante o envio de uma proposta comercial por e-mail a partir de clientes que encontraram a sua empresa na internet.

Portanto, o que deve faltar para o seu negócio é uma base sólida de planejamento e profundo alinhamento com as grandes tendências do marketing 4.0, a fim de gerar diferenciais competitivos no seu ramo de atuação.

Quer entender um pouco mais a respeito dos diferenciais do marketing 4.0 e como ele ajuda no desenvolvimento de sua marca? Então, aproveite para associar os seus benefícios com base no momento — e nos desafios — que vive a indústria 4.0 no contexto tecnológico e financeiro do Brasil!

Pin It on Pinterest