8 eventos de marketing digital que todo empresário deveria ir

8 eventos de marketing digital que todo empresário deveria ir

Como anda a sua agenda de eventos de marketing digital? Se você tem um tempinho para fazer novos contatos, inteirar-se a respeito das novidades e tendências do marketing digital e usar os insights para o desenvolvimento da sua empresa, então, você está no lugar certo!

Isso porque, ao longo deste post, vamos apontar para você os 8 eventos de marketing digital que têm feito a diferença para o mercado e os seus representantes. E convidamos você a nos acompanhar durante esta breve leitura. Quem sabe, talvez você identifique algumas boas oportunidades para agendar e enriquecer os seus conhecimentos em marketing digital?

[e-Book] As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Baixar Gratuitamente | Labra

A importância de participar de eventos de marketing digital

Como destacamos acima, os eventos de marketing digital podem gerar excelentes insights para a sua empresa. Pois, no geral, são ocasiões em que os grandes nomes do setor se reúnem para discutir as melhores práticas de divulgação, as tendências em marketing digital e agregar novos conhecimentos para colocar o seu site no topo do Google!

Sem falar na significativa oportunidade para se conectar com outros profissionais e, assim, colocar em prática as suas técnicas de socialização para formar novas parcerias e galgar o nome da sua marca no mercado de marketing digital.

Veja a seguir, então, os grandes eventos de marketing digital que você não pode perder, daqui por diante:

Os 8 principais eventos de marketing digital do país

1. RD Summit

Evento já tradicional no país, o RD Summit ocorre em Florianópolis, anualmente, e já tem estrutura para acomodar mais de 150 palestrantes em suas edições anuais!

Marque aí na sua agenda: em 2019, o evento já tem data marcada (6, 7 e 8 de novembro), e tem tudo para agregar novas ideias e oportunidades de negócio para a sua empresa e, assim, fortalecer o seu marketing digital.

2. Social Media Week

Um dos mais relevantes eventos de marketing digital, atualmente, expondo as grandes tendências das redes sociais, principalmente — que, convenhamos, têm enorme relevância em qualquer estratégia de marketing digital.

Em 2019, o evento vai tomar forma na capital paulista, entre os dias 9 e 13 de setembro. Aproveite para marcar em sua agenda!

3. Gartner Data and Analytics Summit

Evento que, a cada edição, se consolida como um dos principais do país — e assumindo a cidade de São Paulo como o palco de concentração de grandes especialistas de marketing digital para dialogar com aqueles que comparecem a esse encontro de grande porte do setor.

Entre as suas principais características, podemos destacar as melhores estratégias e tecnologias para aprofundar a qualidade de sua empresa na percepção e no monitoramento de métricas para qualificar ainda mais o seu marketing digital.

​​​​​​​4. FIRE Festival

Interessante considerá-lo, entre outros eventos de marketing digital, porque ele não se concentra apenas nas técnicas de divulgação, mas em toda a internet.

Consequentemente, você adquire um panorama mais completo dos rumos para os quais as grandes tecnologias estão rumando, ajudando a antecipar as mudanças que o mercado pode rumar, em curto ou médio prazo.

​​​​​​​5. Expo Digitalks

O Expo Digitalks é, sem dúvidas, um dos grandes eventos de marketing digital do país — em 2019, por exemplo, ele vai completar a sua décima edição.

Em geral, são quase 200 palestrantes convidados a compartilharem os seus conhecimentos com os presentes. Oportunidade ideal, portanto, para você se antecipar, garantir o seu ingresso e avaliar os assuntos em debate para chegar ao evento com todas as atrações devidamente mapeadas.

​​​​​​​6. The Developers Conference

Outro grande evento que não tem, diretamente, uma relação intrínseca com o marketing digital. Só que trata-se de um setor que se complementa fortemente com as ações e estratégias digitais da sua empresa.

Por exemplo: a conferência — uma das maiores do mundo em tecnologia — ajuda na avaliação do quanto as empresas (e onde) as empresas podem investir para obter mais assertividade nas suas estratégias.

​​​​​​​7. SXSW Conference & Festivals

Evento singular para quem gosta de marketing digital, mas também entende a relevância e o alinhamento dessa estratégia com outros segmentos criativos e artísticos, como a música e o cinema.

Convém avaliar as atrações convidadas, anualmente, para que a sua empresa assuma um lugar estratégico entre as grandes referências do seu ramo de atuação — e, isso tudo, aprendendo os rumos do mercado para aplicar as tendências mais relacionadas com os seus objetivos e o perfil do seu público-alvo.

​​​​​​​8. Inbound

Organizado pela Hubspot, esse é também um dos eventos de marketing digital mais relevantes do setor. Aproveite para dar uma conferida nos seus representantes e convidados, devendo fazer parte de sua agenda, definitivamente, para fazer novas conexões e ampliar os seus conhecimentos no assunto!

[e-book] Marketing Industrial: como gerar novas vendas | Baixar grátis | Agência Labra

E, por falar em eventos de marketing digital que devem fazer parte da sua agenda anual, não deixe de conferir também as inspirações obtidas no último Labra Insights realizado — e que foi um tremendo sucesso!

Gestão de segurança e saúde no trabalho: tecnologias e estratégias para empresas se aperfeiçoarem

Gestão de segurança e saúde no trabalho: tecnologias e estratégias para empresas se aperfeiçoarem

A indústria 4.0 é uma realidade consolidada e, hoje em dia, estamos testemunhando uma série de soluções que pode reinventar a produtividade, a economia e, inclusive, a gestão de segurança e saúde no trabalho.

E não pense que isso significa pouco para o setor, como um todo: em média, saúde ocupacional e planos de saúde tendem a corresponder a 12% da folha de pagamento das empresas.

Muito tem sido feito, portanto, para agregar mais valor à produção industrial. Por isso, neste post vamos ficar por dentro do quanto a tecnologia está participativa na gestão de segurança e saúde no trabalho. Boa leitura!

O custo da gestão de segurança e saúde no trabalho para a indústria

De acordo com Emmanuel Lacerda, gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do Serviço Social da Indústria (SESI), esses custos devem demandar, em curto prazo, “ (…) um controle maior dessas questões já que, com o envelhecimento da população, os custos com saúde devem aumentar ainda mais. Melhorar a eficiência na gestão de saúde dos trabalhadores é prioridade das empresas”.

[E-Book] As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Baixe gratuitamente | Agência Labra

O próprio SESI tomou a frente da questão. Em fevereiro, o eSocial: Integrações entre o SESI VIVA+ e sistemas de folha reuniu empreendedores e especialistas do setor de tecnologia para apresentar algumas soluções nesse sentido e aprimorar a gestão de segurança e saúde no trabalho.

À ocasião, foi apresentada uma plataforma muito bem enraizada com a indústria 4.0: facilidade de integração entre tecnologias, agilidade e precisão na coleta e utilização de dados e até mesmo uma calculadora de gestão de custos relacionados à segurança e à saúde no ambiente de trabalho.

Para reduzir os custos das empresas sem que, com isso, impacte na qualidade de vida dos colaboradores, a plataforma cruza um banco de dados nacional (como a realidade nacional e critérios legais sobre o assunto) com as informações das próprias empresas, como:

  • Custo com ações focadas na saúde e na segurança dos profissionais;
  • Dados quantitativos de colaboradores que usufruem das medidas de segurança e saúde;
  • Hábitos dos trabalhadores;
  • Índices (como aquele relacionado ao afastamento de profissionais por conta de uma doença ou acidente).

Com essa tecnologia, a empresa passa a saber de forma precisa quais os principais desafios de saúde dos seus trabalhadores e poderá canalizar recursos para ações que darão mais resultados”, aponta o médico do trabalho do Centro de Inovação SESI em Economia para Saúde e Segurança, Cláudio Patrício, que tem participação ativa na elaboração dessa solução.

A importância de soluções desse tipo

Com uma projeção ficada no lançamento da plataforma até o final de 2019, o SESI pretende dar uma guinada ao setor, aproximando as indústrias ainda residentes na era da internet 1.0 das grandes revoluções tecnológicas do setor.

A ideia dessa plataforma tem como principal objetivo o uso estratégico de informações para o planejamento e uma tomada de decisão mais assertiva em assuntos sobre a gestão de gestão de segurança e saúde no trabalho.

Gestão de segurança e saúde no trabalho na indústria | Agência Labra

Para tanto, o SESI tem se reunido com empresas de diferentes áreas — e com real interesse em soluções desse tipo — para garantir total eficácia na sua plataforma.

Nesse contexto, o órgão tem trabalhado em diferentes frentes para alcançar esse objetivo. São elas:

  • Economia em saúde e segurança por meio da identificação de gastos desnecessários;
  • Fatores psicossociais, que interferem gradualmente na produtividade dos profissionais;
  • Aumento do controle de agentes químicos e produtos nocivos à saúde;
  • Soluções para a redução do afastamento em decorrência de doenças ou acidentes de trabalho;
  • Inovações para promover o envelhecimento ativo;
  • Metodologias e soluções para melhorar a ergonomia no ambiente produtivo.

Vale destacar que o SESI permanece em contato — e à espera de novos contatos — para coletar mais amostras significativas para o seu banco de dados.

Com isso, obtém-se um aliado de peso para aumentar, qualitativamente, a gestão de segurança e saúde no trabalho. E, se você estiver em busca de mais informações a respeito do momento que vive a indústria nacional, confira nosso post com as perspectivas para 2019 associadas às indústrias têxteis no Brasil!

Chat Online: uma ferramenta importante para captação leads na indústria

Chat Online: uma ferramenta importante para captação leads na indústria

Um Chat online está cada vez mais se tornando uma excelente fonte de captação de leads e, você sabe o porquê? Sua equipe estará a disposição na hora que o seu cliente procurar por você.

O cenário digital atual das empresas está muito relacionado com a proatividade em seus atendimentos com seus clientes. E uma das fontes para captar essas informações está em um “live chat” ou “Chat online”, como queiram definir.

Cito que a agência negligenciou por um tempo este tipo de comunicação, mas, já se fazem um ano que estamos usando o chat como ferramenta de comunicação com nossos clientes,  e nos questionam se funciona. E respondemos com autoridade que sim, funciona e muito bem!

Estamos vendo constantemente alguns clientes que utilizam desta ferramenta mas, não reconhecem sua devida importância, e aqui está o mais agravante. Sua empresa tem a obrigatoriedade de ter os responsáveis para cada canal.

Testamos por muito tempo várias ferramentas mas, no inicio de 2019, encontramos uma que está nos auxiliando de sobremaneira na qualidade deste atendimento.

Atualmente, estamos utilizando Jivochat e o que nos chamou muito a atenção, foi por atender a uma série de  canais em um mesmo lugar.

Vamos listar algumas vantagens consideradas pela equipe:

  • Integração comunicação com outras ferramentas com chat

São várias possibilidades que permitem a sua empresa centralizar em operadores de acordo com a necessidade e, ainda ter  o controle na qualidade no atendimento.

  • Ligação em 27 segundos pelo chat

Outra detalhe que nos chamou muita atenção foi que: o que dá uma credibilidade perante o cliente é a ligação que pode ser feita em 27 segundos, que de fato ajuda a não perder aqueles contatos imediatos.

Sua versão no quesito mobile está muito bem elaborada, permitindo uma experiência do usuário muito valiosa, não gerando nenhum tipo de incomodo para o usuário.

O que percebemos em uma de suas últimas atualizações deverá estar relacionado com algum tipo de integração com o WhatsApp, para nós estamos aguardando ansiosos essa funcionalidade, tendo em vista a demanda por parte de nossos clientes.

  • Ligação por dentro da ferramenta chat

Quando a ferramenta integrada existe a possibilidade de fazer ligações internas com a ferramenta, facilitando o retorno de uma ligação, bem como a proatividade da equipe.

Chat-jivochat-labra

Detalhe para os gestores é uma excelente ferramenta para monitorar a qualidade de suas ligações. E gerar planos de ações para melhorar cada vez mais.

Resumindo, só vantagens para a equipe

A proatividade por parte das equipes comerciais, quanto a demanda por parte dos clientes, deve ser instantânea, e a ferramenta nos possibilita isso.

Quero ressaltar alguns detalhes aqui que poderão fazer toda a diferença na indústria em ter um chat:

  • O pronto atendimento com o cliente;
  • Captação de novos leads para a empresa;
  • Controle do gestor das áreas;
  • Envolvimento de áreas como Marketing, vendas, RH e assistência técnica;
  • Desempenho no atendimento;
  • Avaliação de performance, e melhorias de processo.

É possível com a ferramenta criar setores de atendimento, permitindo direcionar para áreas afins. O que centraliza para o gestor a capacidade de tomada de decisão.


Gostou e quer ter a ferramenta na sua empresa? Basta click aqui e tenha a ferramenta Jivochat para a sua equipe.

RD Summit 2018: alguns dos ensinamentos que precisamos levar para 2019

RD Summit 2018: alguns dos ensinamentos que precisamos levar para 2019

Wow!!! É assim que podemos começar falando sobre o RD Summit 2018, um evento que contou com mais de 12000 pessoas do Brasil e América Latina, trouxe muita coisa boa para quem está antenado no Marketing Digital.

Há uma série de trilhas que foram seguidas nestes três dias de evento, com muita intensidade e uma grande bagagem de aprendizado e para explicar vamos subdividir em algumas trilhas que poderão ajudar você.

Inteligência Artificial – AI, Robôs

Começamos pela palestra da Martha Gabriel, que é considerada uma das principais pensadoras digitais no Brasil. Autora de best sellers, como “Marketing na Era Digital” e “[email protected]: a (r)evolução digital na educação”, finalista do Prêmio Jabuti, seu mais recente livro, “Você, Eu e os Robôs: Pequeno Manual do Mundo Digital” bateu recorde de vendas no lançamento.

Ela é uma figura carimbada do RD Summit e traz excelentes novidades e tendências do que vem por aí, como a AI – Inteligência Artificial. E sabemos que não é mais já uma novidade e não é atoa que vem ganhando escala junto com a evolução dos robôs. Um questionamento gerado na cabeça de muitos é: “Meus Deus vamos ser substituído por robôs?”  e a resposta novamente é, NÃO.

Mas para explicar isso, é fácil de se compreender. Com a população envelhecendo e a escassez de mão de obra, será necessário otimizar processos e aumentar as escalas de produção, caso contrário, entraremos no colapso, um detalhe sobre os robôs é que eles estão aprendendo e entendendo muitas informações, porém, o ponto mais delicado disso tudo está nos sentimentos.

O tema está com tanta evidência que foram muitos os palestrantes que tocaram nesse assunto.

SEO para 2019

Percebemos em várias palestras um sintonia muito interessante com o tema de SEO e, muitos que não entendem insistem em dizer que vai acabar. E mais uma vez entendemos o que está acontecendo, as informações estão sendo cruzadas, a analista especialista em algoritmo e algoritmo do Google, Marie Haynes, mostrou que você terá que construir sua autoridade e conhecimento,  mostrar que você é realmente bom naquilo que faz e naquilo que escreve.

Por que disso? Porque as últimas atualizações dos algoritmos do Google já estão cruzando com as informações para reconhecer a sua autoridade.

Uma palestra que veio com bons insights foi a do Felipe Bazon, que é especialista em SEO na empresa Hedgehog Digital, mostrando quando empresas e setores continuam negligenciando o SEO, e muito menos nem se preocupando com seus clientes, o que pode ser um erro fatal para elas, vários exemplos citados provaram isso ao longo do evento.

Seguindo a tendências a, SEMrush, alertou para o que está em nossa volta, no nosso cotidiano mas, esquecemos de tornar cada vez mais relevante, é a MOBILE, estratégias de SEO Básico ajudam muito para o posicionamento da sua empresa, mas não basta apenas isso. Precisamos nos preocupar com as “maquininhas” que estão cada vez mais em nossas mãos.

Para Maryna Hradovich

Eu não estou dizendo que SEO básico não importa, mas precisamos pensar no futuro, e os dispositivos móveis já estão aqui. Se você não estiver pensando no mobile antes do desktop, você já perdeu.

Em seus pilares sustentados durante sua palestra, Maryna, o foco foram nos dispositivo móveis, inteligência artificial e pesquisa por voz. Novamente olha que legal a ligação do SEO com AI -Inteligência Artificial, ou seja, deem a devida atenção.

Pedro Dias

Para o português que atualmente trabalha na empresa Apis3 e que trabalhou no Google, tem a sua contribuição para o mercado e seu posicionamento mostrou que as tarefas mais básicas devem acontecer preocupações básicas como:

Pedro Dias

  • Uma estrutura de um site deve seguir a uma pirâmide onde a base está relacionado a arquitetura e usabilidade. Fator primordial para experiência do usuário, no centro da pirâmide o conteúdo, responsável pela relevância e possibilidade de que os motores encontrem-no, e o topo os links que serão encarregados de gerar a reputação;
  • SEO não cria valor sozinho;
  • Conteúdo não é só texto;
  • Link building.

Link building não é sinônimo de contar links, mas de colocar os links que as pessoas querem, diz.

Marketing

No meu curriculum estou acumulando já três RD Summits, mas este teve sua parcela maior, que me deixou muito feliz. Percebi que nesses últimos dez anos no marketing, hoje é perceptível entender o porque que professor universitário estadunidense, Philip Kotler colocava o marketing no pedestal, e agora fica muito evidente esse posicionamento.

O Marketing está diretamente relacionado com todas as etapas do processo, empresas que não estiverem se preparando sentirão em um futuro próximo consequências irreparáveis.

Mas vamos explorar o que vimos no RD Summit para falar dessa ciência, onde percebemos muitas coisas em comum e, que devemos dar  uma atenção necessária sobre o assunto.

Eric Santos

Além de novidades na Resultados Digitais com sua máquina de crescimento, Eric Santos também trouxe nesse RD Summit um ponto de vista muito interessante, ilustrando cada vez mais a ligação do Marketing com todas as áreas da empresa.

Impossível não apresentar esse material sem fazer analogia ao Philip Kotler, que já fazia essa referências ao 4P´s, outra coisa que chamou a atenção nessa ligação entre Marketing e vendas, é o resultado que ambos devem criar juntos. Percebemos diretamente essa interação nas empresas que atuamos, de nada adianta trabalhar e entregar-se na hora de finalizar com no gol a empresa não está preparada.

Acompanhando a linha de construção dos módulos, definidos na primeira etapa com Automação de Marketing e agora com seu lançamento do RD CRM, venho a crer que a Resultados Digitais deve avançar ainda mais no processo e desenhar nos próximos anos a linha de Customer Success e Suporte, deixe isso com o tempo.

Rafael Rez

Podemos tratar como um dos nossos gurus dos tempos modernos aqui no Brasil, o respeito a ele dado é por mérito e conhecimento, a  abordagem  de Rafael no contexto “Neurostorytelling“, nos mostrou como nosso cérebro continua sendo iludido pelas histórias, consideramos esse processo como a zona de conforto do se humano.

“O cérebro aprende com narrativas, histórias são a zona de conforto do cérebro”, conta Rafael Rez.

Adivinhou o motivo dos sucessos dos principais livros e filmes que emplacam, uma resposta clara para nossos super heróis. Com essa descoberta, brincamos que até Stan Lee morreu pois desvendaram sua magia.

Para ele, a força da história está em criar um contexto para que o cliente entenda onde aquele produto ou serviço se encaixa na história dele. Rafael Rez cita o exemplo da Nestlé, que tentou introduzir o consumo de café no Japão e falhou. Isso porque o país oriental “não tem a ligação emocional com o café que o Brasil tem, não havia cultura nem contexto, e foi preciso criar uma história”.

Rafael Rez

Aqui fica um bom enredo para seguir nas próximas etapas na construção de conteúdo, seja em e-mails, blogs, ou páginas de conteúdo em sites.

Poderíamos listar muitas palestras e pessoas importantes, mas entendemos que a magnitude de um evento como esse exige levar seus clientes para que eles possam entender onde estamos e para onde devemos ir.

Vendas não é mais a mesma

Hoje não é mais o amanhã, e o reflexo pelos menos dos próximos anos, em uma das reuniões que participei, escutei algumas verdades que fazem parte das rotinas das empresas que estamos trabalhando, e o RD Summit fortaleceu essas afirmações, enxergue comportamentos similares em suas tomadas de decisão.

A verdade não será desmentida até que os números falem por elas, nosso espelho está lá nas “gringas”, porque o que dá certo lá, demora em torno de cinco anos para virar realidade aqui no Brasil.

Então  continuando no embalo das palestras apresentadas no RD Summit, não podia ser mais importante do que falar dele, Jacco VanderKooij.

Jacco VanderKooij

Esse cara vai virar Brasileiro, é nítido o sangue que corre pelas suas veias, sua motivação nos ensina muito e faz refletir que vender não é mais a mesma coisa e faz tempo, as pessoas não querem que vendemos para ela.

As pessoas odeiam que vendam para elas, mas amam comprar.

Temos que agir como inteligência, no seu momento, os dispositivos móveis estão e não podem ser negligenciados pelas empresas, muitas pessoas ficam mais com ele do que qualquer coisa.

Jacco VanderKooij

As pessoas querem trabalhar em ambientes que as identifiquem e que façam sentido em suas vidas. Daí vem uma pergunta, o que isso quer dizer? Todos da sua empresa ajudam a vender a sua própria empresa.

Um contexto levantado é da importância das mulheres nos cargos importantes, elas possuem inúmeras qualidades que colocam os homens no bolso. Valorize as iniciativas e oportunize crescimento das pessoas na sua organização, inclusive das mulheres.

Precisamos usar as práticas que funcionam dentro das empresas de SaaS e, aplicar em nossas empresas pois essa é a mudança que irá acontecer.

Tim Ash

Precisamos simplificar processos, facilitar as compras, as dificuldades impedem diretamente a forma que nós vamos comprar, o especialista em CRO, mostrou vários exemplos e o quanto isso pode facilitar uma venda.

As pessoas são preguiçosas, impacientes e gostam de escolhas simples.

Nosso cérebro além de ser um órgão complexo e o mais importante, ele possui 2% do volume do nosso corpo, mas consome 20% da energia, onde ele nos informa que possuímos 4F s (inglês)

  1. Fighting: ele está sempre preparado para brigar e derrotar possíveis inimigos ou predadores;
  2. Flying: se concluir que não pode derrotar o inimigo, vai fazer com que fujamos o mais rápido possível;
  3. Feeding: nosso cérebro quer comida para se manter funcional;
  4. Fornication: a transmissão de um legado geracional ocupa bastante o nosso cérebro.

O exemplo prático ficou o case da Apple, que hoje, possui os melhores resultados com venda de relógios do que a tradicional empresa Suíça.

Robert Cialdini

Aqui, encontramos um exemplo de conhecimento científico com a realidade prática. Seus princípios afetam diretamente a decisão na compra por parte de nossos clientes, os princípios da influência social estão relacionados:

  1. Reciprocidade
  2. Escassez
  3. Autoridade
  4. Consistência
  5. Afinidade
  6. Consenso

Essas coisas que são raras, escassas, que estão diminuindo em disponibilidade, as pessoas enlouquecem em busca delas.

Pré-suasão

A pré-suasão funciona ao alterar temporariamente o que as pessoas consideram importante dentro da situação em que encontram.

Economia

O contexto dessa palestra foi incrível, nos RD Summits anteriores a escolha pelo Ricardo Amorim foram sempre bem assertivas. Aqui, até quem não entende de economia aprende, sabe aquele jargão de se não entender desenhe, foi isso o que ele fez novamente.

Os números apresentados no RD Summit, dão um ar de boas expectativas para o próximo ano para esse país maravilhoso, claro que, dependemos dos sinais positivos por parte de quem dirige esse país, mas tudo se encaminha para uma posição favorável para o próximo ano.

Ricardo Amorim

Indicadores e as estatísticas nos dão conta de que as coisas vão melhorar, o cenário se prova otimista e vemos isso acontecendo com o clientes, investindo e novos mercados sendo desbravados também.

Nos últimos 15 anos geramos mais riqueza do que nos 2 mil anos anteriores, afirmou.

Algumas características nos preocupam nessa evolução, precisaremos dar atenção as futuras fontes de crescimento deste país, e as startups vieram para ficar e faturar, nosso ensino precisa ser repensado e melhorado.

E precisamos acreditar neste país, pois ele possuem um potencial tremendo e composta de pessoas magnificas para crescer.

Motivação combustível para a criatividade

Aqui foi o que não faltou palestras, lágrimas de alegria e motivação. Esse RD Summit teve um tempero muito importante para as emoções.

Yvonne Cagle

Não é só de conquistas que o homem é movido, mas de desafios, precisamos acreditar em nossos potenciais e precisamos valorizar ao invés de apenas criticar.

“eu sonhei que iria à Marte, e agora estou buscando pessoas que também ousem sonhar.”

Gloria Maria

Um dos momentos mais marcantes do evento só podia estar relacionado com MEMES, mas o que podemos tirar de lição da Glória Maria nesse RD Summit, é aproveitar as oportunidades e experimentar o que podemos, ela teve autoridade em mostrar que com os erros podemos ter várias oportunidades e experiência.

Foram tantos os palestrantes que deixaram suas experiências e suas expectativas de vida e conquista. Exemplo como Marcio Ballas.

Guga Kuerten

Esse manesinho da ilha esteve muito a vontade para dar seu depoimento com as melhores propriedades do mundo. Aqui, foi um dos momentos em que o planejamento pareceu que não funcionou, o improviso foi o destaque.

A sua autoridade em falar de conquista foi fundamentada em princípios que todos nós profissionais passamos constantemente, exercícios praticados diariamente. Mas para falar de celebrações e conquistas nada adianta se não conhecermos as dores desse caminho, foram inúmeras as que Guga passou, parece coincidência mas descobrimos que não.

Guga Kuerten

Pessoas dão motivos para suas conquistas, mas seu interior não acredita nem em si mesmo justamente na hora que mais precisamos  de nós mesmos.

Sentimos várias quedas ao longo desses caminhos, sofremos com perdas e conquistas, mas o suor e as glórias alcançadas nos dão o sustendo de seguir a diante e fazer parte desse seleto grupo.

Concluímos que este RD Summit para toda a equipe da Agência LABRA foi um combustível que nos alimentou para inovar, criar e extrair muito mais das oportunidades que foram geradas, o networking realizado com outras agências e parceiros nos mostram o quanto estamos no caminho certo, e que verdades nem sempre são ditas, mas vivenciadas.

Queremos desafiar nossos clientes que no próximo RD Summit de irem para entender essa vibe que tanto nos motiva e dar o combustível  para suas empresas crescerem cada vez mais.

LABRA - Inbound marketing Use a isca certa para os maiores peixes!

Realidade aumentada aplicada na indústria, conheça mais sobre esse novo conceito

Realidade aumentada aplicada na indústria, conheça mais sobre esse novo conceito

A tecnologia galopa em ritmo acelerado rumo às transformações que agregam mais produtividade com menos uso de recursos. A bola da vez tem sido a realidade aumentada para colocar as empresas em um novo patamar para divulgar os seus diferenciais e relacionar-se com o seu público-alvo.

E se você vinha procurando novas tendências consolidadas para impactar o seu consumidor e clientes em potencial, convidamos você a seguir com a leitura deste post. Nos próximos tópicos vamos destacar o conceito de realidade aumentada, as suas distinções com outro termo comum (realidade virtual) e as suas aplicações na indústria. Confira!

O que é a realidade aumentada?

O Big Data chegou para ficar e, por meio dele, as empresas têm à disposição valiosos insights para compor estratégias de marketing, vendas ou de relacionamento. Afinal, os hábitos de navegação de sua audiência ajudam a orientar a elaboração das próximas campanhas.

O ponto-chave, aqui, está no uso de tecnologias e técnicas que fortaleçam essa aproximação com o público. Gerar experiências está em evidência, lembra-se?

E é aí que o conceito de realidade aumentada ganha um apelo maior. O próprio consumidor já se relaciona com esse tipo de tecnologia — como os filtros de redes sociais visuais, como o Snapchat ou o Instagram — ou mesmo em games no celular, caso do Pokemon GO.

E como isso funciona: por meio da visualização de dados digitais mesclados ao mundo real. Levando isso ao mundo corporativo — e à indústria, especificamente, a realidade aumentada pode ajudar no contato com o público, na tomada de decisão cotidiana e até mesmo no treinamento e na capacitação de colaboradores.

Quais são as possibilidades de uso com a realidade aumentada?

Ao criar uma sobreposição de imagens digitais sobre uma superfície tridimensional, da maneira como enxergamos o mundo, conseguimos interagir melhor com a informação.

Realidade aumentada aplicada na indústria | Agência Labra

Por exemplo: no exemplo anteriormente citado a respeito do treinamento de colaboradores, fica mais fácil trabalhar o desenvolvimento de um processo produtivo a partir de simulações.

O mesmo vale para a apresentação de gráficos e relatórios. Expostos tridimensionalmente através de dispositivos, esses dados permitem um dinamismo maior e integrado, fazendo com que a sua apresentação fique também mais flexível e móvel.

Levando, agora, para a linha de produção industrial, a realidade aumentada pode ser aplicada em um dispositivo — como um óculos — que auxilie os profissionais com instruções, acesso aos manuais que ele pode necessitar e até mesmo insights sobre o processo do seu trabalho.

Nesse ritmo, é seguro dizer que estamos diante de uma nova era de interação com a tecnologia. Cada vez mais palpável, presente e integrada ao nosso mundo.

Existem diferenças entre realidade virtual e realidade aumentada?

Muitos empreendedores já antenados às tendências tecnológicas podem questionar isso. Afinal de contas, um substitui, complementa ou é idêntico ao outro?

A realidade é que ambas são similares, mas possuem características e objetivos distintos. Por exemplo: a realidade virtual é capaz de nos levar a outro lugar — pense naqueles simuladores onde colocamos um óculos e parece que estamos passeando em uma montanha-russa psicodélica.

Enquanto isso, a realidade aumentada permite que o mundo digital e o real entrem em conversão integradora. A sobreposição de imagens citada acima é um exemplo claro de que estamos em contato, no mundo real, com informações digitais.

Em feiras e outros eventos industriais isso já se percebe a partir do uso de dispositivos — como apps em aparelhos móveis — que integram com equipamentos físicos nesses locais. Um holograma, uma apresentação, uma interação virtual… Isso tudo pode acontecer.

O resultado disso é que as empresas se destacam, mais pessoas vão analisar esse diferencial que pouco se vê, ao redor do evento, e pode facilitar a divulgação de informações sobre a sua empresa.

Portanto, são diferenciais que podem ser aplicados tanto de maneira interna, para o aumento da produtividade e redução de erros, entre outras aplicações, como externa. Nesse caso, promove o relacionamento, o fortalecimento de sua marca e até mesmo o aumento de vendas.

Existem outros benefícios em fazer uso desse tipo de tecnologia?

Os benefícios do uso da realidade aumentada se misturam com as suas aplicações. Pense, por exemplo, em um catálogo de produtos: você pode ter uma versão digital e integrada, facilmente acessada via smartphones.

Como resultado, as pessoas baixam os seus aplicativos, interagem com as suas soluções e podem até mesmo levar para casa algo leve, flexível e que vai estar sempre à mão quando ele necessitar de uma pesquisa.

Não à toa, a realidade aumentada está se mostrando uma possibilidade multifacetada e de uma versatilidade vasta. Negligenciar essa tecnologia é estagnar os avanços da empresa.

E, se você ainda acha a afirmativa acima um pouco extrema demais, confira alguns benefícios em fazer uso da realidade aumentada no dia a dia corporativo de sua indústria:

  • a realidade aumentada pode aproximar o usuário do que você quiser — o oposto, portanto, da realidade virtual. Isso permite uma interação maior, trazendo objetividade à sua mensagem;
  • o uso dessa tecnologia gera produtividade, menos gastos, redução de riscos e erros e, ainda, contribui com a qualificação dos seus colaboradores;
  • em eventos, é um diferencial. Um atrativo e uma poderosa ferramenta de divulgação;
  • você pode usá-la tanto via dispositivos próprios (os já citados óculos) ou por meio de smartphones e tablets;
  • não há limite para a profundidade da imersão. O que amplia as possibilidades de uso.

Em resumo, a realidade aumentada está construindo novos rumos de desenvolvimento industrial à medida que desconstrói os mesmos valores e processos.

Não à toa, termos recentes estão cada vez mais comuns no vocabulário dos empreendedores alinhados ao conceito de indústria 4.0, como a computação imersiva, ou mesmo a realidade mista — o real e o digital integrados.

Temos, ainda, um longo caminho a ser percorrido para que a realidade aumentada se consolide e apresente possibilidades ainda conceituais, apenas — como a nossa relação com os dados digitais que podemos perceber integrados ao mundo real.

Só que, a partir das premissas básicas da tecnologia, podemos imaginar uma comunicação padronizada e cada vez mais trabalhável em um âmbito misto.

Enquanto o futuro não chega, em definitivo, que tal avaliar outras possibilidades de crescimento para o seu negócio? Para isso, baixe gratuitamente o nosso e-books sobre como vender utilizando o marketing industrial!

[e-book] Indústria 4.0 e os desafios do setor | Baixar Gratuitamente | Agência Labra

A importância de evoluir o logotipo da sua empresa

A importância de evoluir o logotipo da sua empresa

O logotipo é um dos elementos mais importantes da identidade visual de uma empresa. É por meio das cores, dos traços e das formas utilizadas no logo que a marca se apresenta ao mercado. Também é por meio desta “assinatura” que os consumidores, muitas vezes, reconhecem os produtos desenvolvidos pela empresa.

Mas será preciso evoluir o logo criado? Em que momentos isso deve ser feito? Se você tem estas e outras dúvidas a respeito da evolução do logotipo, está no post certo. Acompanhe a leitura para descobrir mais sobre o assunto!

O conceito de identidade visual

Antes de explorarmos a ideia de logotipo, temos que retroceder algumas etapas para apontar, inicialmente, a relevância da identidade visual para qualquer empresa.

E, afinal de contas, o que é a identidade visual?

No geral, são os elementos visuais que contribuem com a representação da sua marca — seja a sua essência, os seus conceitos e produtos ou serviços. Ela aparece na sua fachada, no site, em materiais gráficos etc..

Isso, de imediato, ajuda na consolidação da empresa no mercado, bem como a sua diferenciação. Para o público, é a oportunidade para gerar identificação e associação, facilitando a sua lembrança para distanciar-se da concorrência.

Logotipo: crie sua identidade visual com a gente, clique aqui! | Agência LABRA

A ideia do logotipo

Dentro do contexto de identidade visual temos o logotipo, que é traduzido como os elementos gráficos de identificação de uma marca. Eles podem ser:

  • letras;
  • números;
  • símbolos.

Isolados ou juntos, vale adiantar, desde que gerem com precisão a identificação que o consumidor necessita para associar à sua empresa. O logotipo é, portanto, uma significação para o seu negócio que pode ser reconhecida a partir desse elemento gráfico.

A importância do logotipo para a empresa

O logotipo — bem como o planejamento estratégico da sua identidade visual — ajudam a transmitir seriedade e profissionalismo a uma empresa.

Sem falar na credibilidade da marca, o que é demonstrado pelo cuidado em construir uma imagem única, exclusiva e associada ao perfil do seu público-alvo.

Portanto, o logotipo é uma tradução rápida e objetiva de quem é o seu negócio e como ele se posiciona naquele mercado em questão.

Do contrário, as empresas perdem identidade. O que diferenciaria, afinal de contas, uma empresa da outra cujas soluções são similares? O cuidado está em agregar essa identificação imediata com o público, e daí o grande valor do logotipo para as empresas.

A força do logotipo para o crescimento da marca

Como adiantamos, o logotipo tem diversas funções no marketing da empresa. É uma ferramenta poderosa para ajudar no posicionamento da marca no mercado.

Só que ele, quando elaborado estrategicamente, também pode (e deve) marcar presença nos materiais da empresa. Isso estabelece e fortalece um relacionamento com o consumidor.

Por isso, o objetivo do logotipo está atrelado à representação visual do conceito da marca, representando também a área de atuação da empresa.

Quer um exemplo disso? Vamos tomar como ilustração o caso do logo da FedEx, empresa americana que realiza entregas. No logotipo da empresa, o espaço entre as letras E e X tem o formato de uma flecha para simbolizar a rapidez nas entregas feitas pela empresa.

Evoluir ou não evoluir o logotipo

O logotipo é um elemento que representa visualmente a marca, certo? O seu conceito, a sua área de atuação e os seus consumidores. No entanto, é importante que a empresa esteja em constante evolução – para aprimorar os seus serviços e se adaptar a novos tempos.

Portanto, é natural que o logo evolua junto, para representar o novo conceito da marca. As mudanças no logotipo também ajudam a reposicionar a marca — quando a empresa procura conquistar uma nova fatia do mercado, por exemplo, ou quando quer agregar valor aos produtos e serviços comercializados.

Também é fundamental evoluir a marca quando ela não condiz com a imagem que a empresa quer passar, com o seu conceito ou com o público-alvo que se espera conquistar.

Vale analisar o logotipo e responder a perguntas como: “meus consumidores se identificam com o logo da empresa?”.

Se a resposta for não, é mais do que hora de fazer ajustes na identidade visual e de evoluir elementos essenciais para o crescimento do negócio, como é o caso do logotipo.

A importância em saber quando se adaptar às mudanças

Com o passar do tempo, surgem novas tecnologias, o comportamento do consumidor muda e aparecem novas tendências. Em momentos assim, também é preciso adaptar o logo que representa visualmente o conceito da marca.

Diversas empresas fizeram isso ao longo dos anos. A onda branca presente no logo da Coca-Cola, por exemplo, só surgiu em 1969. Já a Apple, conhecida pela sua maçã meio mordida, já foi representada por um logo bem colorido.

Essa era a imagem que representava a marca em 1977. As cores foram influenciadas pelo movimento hippie, forte na época e, principalmente, pelo lançamento do Apple II — o primeiro computador pessoal capaz de reproduzir imagens em cores.

Outro motivo para as faixas coloridas era o fato de que Steve Jobs queria atingir um público mais jovem: a ideia era começar a colocar os computadores nas escolas.

Os tempos passaram, o objetivo da Apple mudou e os seus aparelhos evoluíram. O logo da empresa acompanhou estas transformações.

Logotipo: ajuda no desenvolvimento da sua marca. | Agência LABRA

Hoje em dia, a versão “glass” da maçã, sem as faixas coloridas, é ideal para representar o novo conceito da marca que cria aparelhos com design moderno e funcionalidades voltadas para criar uma excelente experiência ao usuário. A nova versão transmite a imagem elegante dos produtos fabricados pela Apple.

Assim como a Apple, a Coca-Cola e milhares de outras empresas, os produtos e serviços do seu negócio evoluem. As demandas do mercado, o seu público-alvo e a sua concorrência também.

Para garantir que os seus consumidores continuem interessados nos seus produtos, atrair mais clientes que fazem parte do seu público-alvo e evitar que a sua empresa perca competitividade é fundamental adaptar a identidade da empresa e o logotipo que representa a marca.

(Re)criando um logotipo de alto impacto

Pois então, vimos que é de grande relevância acompanhar as mudanças do mercado para garantir uma perpetuidade no significado da sua marca para o consumidor.

Esse fortalecimento, portanto, deve ocorrer com um novo planejamento para avaliar a associação da sua identidade visual com as novas perspectivas do mercado e, claro, o perfil do seu público-alvo.

Por isso, para que você possa reinserir a identidade visual da sua empresa com grande impacto positivo, no mercado, reunimos algumas dicas para a sua empreitada, como:

  • reavalie tudo o que você sabe — ou acha que sabe — sobre a sua empresa. Refaça as pesquisas já feitas e confira quais valores e representações ficaram datados;
  • reposicione o seu logotipo para compreender se ele ainda está de acordo com os pilares institucionais da sua marca (missão, valores e visão);
  • pesquise novamente tudo a respeito do seu público-alvo. Em seguida, associe-o à representação gráfica da sua empresa;
  • analise a concorrência e perceba como ela se mobilizou nesse sentido. Eles mantêm o mesmo logotipo ou se reestruturaram também para inovar no mercado?
  • estude o significado dos elementos gráficos usados no seu logotipo. Tente reforçar todos os diferenciais da sua marca, sem perder a relevância para a percepção do público;
  • registre o seu novo logotipo e divulgue-o nos seus principais canais de comunicação. Reforce o significado dele para a sua audiência e mensure a recepção do público.

E então, deu para entender o valor agregado do logotipo da sua empresa e o quanto ele tem valor na representação do o conceito de sua marca? Deixe a sua opinião sobre o assunto nos comentários, e aproveite para saber mais a respeito do tema baixando gratuitamente o nosso portfólio sobre identidade visual! Lá, você vai saber o que a Agência Labra pode fazer para ajudar no desenvolvimento do seu logotipo!

Pin It on Pinterest